Meteorologia

  • 14 AGOSTO 2022
Tempo
27º
MIN 17º MÁX 27º

"Nada aponta para motivações terroristas", assegura polícia dinamarquesa

Segundo as autoridades, as vítimas terão sido escolhidas aleatoriamente, "sem distinção de etnia ou género".

No rescaldo do ataque num centro comercial de Copenhaga, na Dinamarca, que vitimou três pessoas e deixou outras quatro em estado grave, a polícia local descartou qualquer “motivação terrorista”, acreditando que o suspeito, entretanto detido, tenha “agido sozinho”.

Em conferência de imprensa nesta manhã de segunda-feira, Søren Thomassen, inspetor-chefe da polícia de Copenhaga, revelou que o dinamarquês de 22 anos acusado do ataque no centro comercial Field's, no domingo, tinha antecedentes psiquiátricos e já era conhecido pelas autoridades, cita o Jyllands-Posten.

Além disso, as autoridades acreditam que o jovem terá “agido sozinho”, sendo que “nada aponta para motivações terroristas”. Nessa linha, as vítimas terão sido escolhidas aleatoriamente, “sem distinção de etnia ou género”, adiantaram.

No momento da detenção, o suspeito tinha na sua posse uma navalha, uma arma e munições, sendo, esta segunda-feira, presente a tribunal, acusado de homicídio.

Thomassen informou ainda que todos os ferimentos das vítimas foram provocados por uma arma de fogo. O ataque vitimou dois jovens dinamarqueses de 17 anos, assim como um homem russo, de 47 anos, residente na Dinamarca. Por sua vez, duas dinamarquesas de 40 e de 19 anos terão ficado gravemente feridas, assim como dois cidadãos suecos – um homem de 40 anos e uma jovem de 19 anos. Há ainda registo de feridos leves, ferimentos esses que terão ocorrido no momento da fuga do centro comercial.

Quatro vídeos publicados no Youtube, no dia 1 de julho, estão sob investigação, avançou o responsável.

Recorde-se que o alerta foi dado às 17h36 (16h36 em Lisboa), tendo as autoridades apelado para que quem "viu, ouviu ou filmou algo" contacte a polícia ou ligue para o 114 (o equivalente ao 112 em Portugal).

Expressando as suas “mais profundas condolências”, a primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen, classificou o ataque como “incompreensível, comovente e sem sentido”, num comunicado emitido no domingo.

"A nossa bela capital, geralmente tão segura, foi alterada numa fração de segundos", lamentou, incentivando à união do país.

O cantor britânico Harry Styles subiria ao palco no domingo, às 20h00 (18h00 em Lisboa), a cerca de um quilómetro e meio do centro comercial. O espetáculo começou por ser adiado, acabando por ser cancelado. Não há evidências de que os acontecimentos estejam relacionados.

“Estou de coração partido, tal como as pessoas de Copenhaga. Adoro esta cidade. As pessoas são tão calorosas e cheias de amor. Estou devastado pelas vítimas, pelas suas famílias e por todos os afetados. Lamento que não pudemos estar juntos. Por favor, cuidem uns dos outros. H”, escreveu o músico, na rede social Twitter.

Leia Também: Tiroteio em centro comercial fez pelo menos três mortos na Dinamarca

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório