Meteorologia

  • 06 JULHO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 31º

"Destino do país" em jogo. Ucrânia observa "fase mais ativa da agressão"

"O inimigo concentrou os seus esforços na realização de uma ofensiva a fim de cercar Lysychansk e Sievierodonetsk", segundo o governador da província de Lugansk.

"Destino do país" em jogo. Ucrânia observa "fase mais ativa da agressão"

As forças russas levaram a cabo, esta terça-feira, um ataque de larga escala com o intuito de cercar as tropas ucranianas que se encontram a combater em cidades do leste da Ucrânia - cuja conquista se trata, neste momento, de um dos principais objetivos de Moscovo, noticia a Reuters

"Agora estamos a observar a fase mais ativa da agressão em grande escala que a Rússia lançou contra o nosso país", disse o porta-voz do Ministério da Defesa ucraniano, Oleksandr Motuzyanyk, num briefing televisivo.

A mesma fonte revelou ainda que a "situação na frente [oriental] é extremamente difícil porque o destino do país está, talvez, a ser decidido [lá] neste momento".

A parte mais oriental da região do Donbass, a cidade de Sievierodonetsk, bem como a de Lysychansk, na margem ocidental do rio Siverskiy Donets, transformou-se no principal campo de batalha da zona, estando agora as tropas russas a avançar a partir de três direções distintas, com o intuito de cercar os combatentes ucranianos.

"O inimigo concentrou os seus esforços na realização de uma ofensiva a fim de cercar Lysychansk e Sievierodonetsk", acrescentou ainda Serhiy Gaidai, governador da província de Lugansk, da qual fazem parte estas duas cidades - das poucas que, na região, ainda estão sob domínio ucraniano.

"A intensidade do fogo em Sievierodonetsk aumentou várias vezes, estão simplesmente a destruir a cidade", apontou ainda, esclarecendo que cerca de 15.000 pessoas continuavam a viver no local.

Mais a oeste, em Slovyansk, cidade que também permanece 'nas mãos' dos militares ucranianos, as sirenes de alerta de ataque aéreo tocaram esta terça-feira, embora as ruas permanecessem cheias de gente.

O governador da província de Lugansk referiu ainda que as forças ucranianas tinham expulsado os russos da aldeia de Toshkivka, a sul de Sievierodonetsk. Por sua vez, separatistas apoiados por Moscovo garantiram que tinham conquistado Svitlodarsk, a sul de Bakhmut. Porém, nenhuma destas informações foi, até agora, verificada de forma independente.

As batalhas decisivas desta guerra na Ucrânia continuam a desenrolar-se, neste momento, mais a sul, com Moscovo a estar a trabalhar para conquistar Donetsk e Lugansk, no Donbass.

A invasão militar da Rússia sobre a Ucrânia, que entrou já no quarto mês de duração, causou a fuga de mais de 14 milhões de pessoas de suas casas, de acordo com os mais recentes dados da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo a mesma fonte, cerca de 15 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

Leia Também: Alemanha e Polónia defendem revisão da estratégia de defesa da Europa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório