Meteorologia

  • 06 JULHO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 31º

Pandemia pode ter impacto "devastador" nos direitos na Coreia do Norte

O país já é considerado um dos mais pobres do mundo, onde a liberdade de expressão é praticamente inexistente. O primeiro surto de Covid-19 poderá obrigar a medidas que restringem ainda mais os direitos humanos dos norte-coreanos.

Pandemia pode ter impacto "devastador" nos direitos na Coreia do Norte
Notícias ao Minuto

12:10 - 17/05/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Covid-19

O Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (OHCHR, na sigla em inglês) mostrou-se preocupado com o primeiro surto de Covid-19 a atingir a Coreia do Norte, com a porta-voz da organização a dizer esta terça-feira que a pandemia poderá ter consequências "devastadoras" para os direitos humanos dos norte-coreanos.

Na semana passada, a Coreia do Norte registou os primeiros casos de Covid-19 em toda a pandemia, uma situação considerada preocupante pelas autoridades norte-coreanas e internacionais, dadas as carências no sistema de saúde do país e no facto de nenhum norte-coreano ter sido vacinado contra a doença.

A porta-voz do UNHCR, Liz Throssell, apontou que impor novas restrições à circulação de pessoas, para conter a propagação do vírus, poderá aumentar ainda mais as dificuldades socioeconómicas e a pobreza na região.

Citada pela agência Reuters, a porta-voz da agência da Organização das Nações Unidas (ONU) alertou que quaisquer medidas de prevenção devem ser proporcionais e adequadas à população norte-coreana.

Depois de admitir casos de uma febre suspeita, cujos sintomas são concordantes com os da variante Ómicron, o Comité Central do Partido Comunista, o partido único que governa a Coreia do Norte, admitiu o registo de casos de Covid-19 e o primeiro surto a ser identificado dentro do seu território.

As autoridades internacionais suspeitam que haja cerca de 1,5 milhões de casos de Covid-19 no país. Segundo os dados oficiais das entidades de saúde norte-coreanas, morreram apenas 21 pessoas com Covid-19 e o regime já negociou com a China (o seu principal aliado) a entrega de medicamentos para combater a doença.

O aviso da ONU é direcionado a um dos países que mais restringe os direitos e liberdades individuais. A Coreia do Norte é conhecida pelo quase total isolamento de todo o mundo além das suas fronteiras, pela opressão policial e militar que restringe a liberdade de expressão e de imprensa, e pela centralização de poder no partido comunista e no seu líder, Kim Jong-un.

Leia Também: Covid-19. Coreia do Norte anuncia 21 novas mortes e luta contra contágios

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório