Meteorologia

  • 10 DEZEMBRO 2022
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 16º

"Cenário apocalítico". 80% das residências em Izium foram destruídas

O autarca descreveu "bombardeamentos aéreos devastadores, com mísseis, bombas e morteiros", que duraram "24 horas".

Notícias ao Minuto

16:50 - 03/04/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Ucrânia/Rússia

Cerca de 80% das habitações residenciais em Izium foram destruídas pelas forças russas, indicou este domingo o assessor do Ministério do Interior ucraniano, Anton Gerashchenko, citando declarações do autarca da região, Vladimir Matsokin. A cidade da região de Kharkiv está tomada pelo controlo russo. 

Numa publicação do Telegram, acompanhada por um vídeo da destruição, o responsável adiantou que, segundo Matsokin, as forças russas "bombardearam a cidade durante 24 horas", acabando por "aniquilar tudo".

O autarca descreveu “bombardeamentos aéreos devastadores, com mísseis, bombas e morteiros”, que duraram “24 horas”.

“É difícil compreender a lógica militar por detrás disto. [Os russos] estavam a aniquilar tudo – memoriais da Segunda Guerra Mundial, parques infantis, escolas, hospitais, infraestruturas de cariz social, estradas, pontes pedonais, o centro da cidade, o parque central, e heranças arquitetónicas. É um cenário completamente apocalítico”, acrescentou. Estas consequências são visíveis no vídeo que pode aceder na galeria acima.

Matsokin indicou ainda haver uma grande probabilidade de pessoas estarem presas entre os escombros, ou escondidas em caves, acabando por ser enterradas vivas.

“Isto é um crime contra a humanidade, uma violação de todos os direitos humanos que existem no mundo”, rematou.

Recorde-se que Izium está sob controlo das forças militares russas, sendo considerada um alvo estratégico para o seu avanço em Donbas.

A Rússia lançou a 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.325 civis, incluindo 120 crianças, e feriu 2.017, entre os quais 168 menores, segundo os dados mais recentes da Organização das Nações Unidas (ONU), que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 4,1 milhões de refugiados em países vizinhos e cerca de 6,5 milhões de deslocados internos.

A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Leia Também: Residentes de Izium dão "bolos envenenados" às forças russas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório