Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 15º

Edição

Manifestação contra medidas de combate à Covid bloqueia centro de Sófia

Centenas de pessoas, na maioria proprietários ou trabalhadores do setor da hotelaria, bloquearam hoje o trânsito no centro da capital da Bulgária, Sófia, em protesto contra as medidas governamentais de combate à pandemia de covid-19.

Manifestação contra medidas de combate à Covid bloqueia centro de Sófia
Notícias ao Minuto

19:05 - 28/10/21 por Lusa

Mundo Covid-19

A manifestação, sob o lema "Juntos pela saúde, o trabalho e o futuro", foi também convocada noutras 15 cidades do país balcânico de 6,9 milhões de habitantes.

A Bulgária é o segundo país da União Europeia (UE) com maior taxa de mortalidade devido à covid-19 nos últimos 14 dias, só atrás da Roménia, e é o último quanto à vacinação, com menos de 25% da população com as duas doses da vacina.

Esta semana, o país balcânico registou máximos absolutos de infeções, quase 7.000 na quarta-feira, ao passo que o número de mortes ultrapassou as 240 na terça-feira.

Nas últimas 24 horas foram contabilizados mais de 5.600 novos casos, 902 doentes tiveram de ser hospitalizados, o que eleva o total de internamentos para 7.373, dos quais 607 em unidades de cuidados intensivos.

Perante esta situação, o Governo introduziu na semana passada a obrigatoriedade de apresentação do certificado covid (comprovativo de vacinação, recuperação da doença ou teste negativo recente) para entrar em espaços de lazer.

"Não tivemos um período de transição antes de esta medida entrar em vigor, para podermos organizar-nos e, por isso, alguns de nós viram-se obrigados a fechar os seus estabelecimentos para não serem sancionados", explicou um dos manifestantes, Ivaylo Georgiev, proprietário de um restaurante, citado pela agência noticiosa espanhola Efe.

"Além disso, depois de se impor a obrigatoriedade do certificado covid, as receitas sofreram uma redução de 80%, já que diminuiu a clientela nos nossos restaurantes e bares", acrescentou.

Outro problema denunciado pelos manifestantes é que as autoridades prometeram testes de antigénio a preços reduzidos para quem não possa ou não queira ser vacinado, mas esses testes são muito escassos.

Na capital, os manifestantes bloquearam um dos principais cruzamentos à hora de ponta, gerando o caos no trânsito. Em seguida, marcharam até à sede do Governo para exigir a demissão do ministro da Saúde e advertiram de que continuarão a exercer pressão sobre o Governo até as suas reivindicações serem satisfeitas.

A covid-19 causou pelo menos 4.969.926 mortes em todo o mundo, entre mais de 244,94 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse, com base em dados oficiais.

Em Portugal, morreram, desde março de 2020, 18.149 pessoas e foram contabilizados 1.088.133 casos de infeção, de acordo com dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Leia Também: AO MINUTO: 3.ª dose a terminar nos lares; OMS dá exemplo de Portugal

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório