Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 15º

Edição

Parlamento unânime em voto de pesar pela morte do deputado David Amess

O parlamento aprovou hoje um voto de pesar no qual "condena profundamente o vil e cobarde assassinato de 'sir' David Amess", deputado britânico do Partido Conservador que morreu na semana passada depois de ter sido atacado com uma faca.

Parlamento unânime em voto de pesar pela morte do deputado David Amess

O voto, apresentado pela comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, foi aprovado por unanimidade.

No texto, a Assembleia da República "condena profundamente o vil e cobarde assassinato de 'sir' David Amess, assim como todas as formas de atentados à vida humana, transmitindo à sua família e amigos, aos representantes colegas de Amess, ao Partido Conservador inglês e a todos os deputados do parlamento inglês, bem como à população do Reino Unido, as mais sentidas condolências".

"Um atentado contra um deputado é sempre um atentado contra a própria democracia. Nenhuma diferença de opinião, disputa ideológica, desentendimento pessoal, pode, em momento algum, justificar a violência, muito menos um ato tão hediondo e cruel como o assassinato de um servidor público", salientam os deputados.

O deputado conservador David Amess morreu na sexta-feira, aos de 69 anos, na sequência de um ataque com uma faca em Leigh-on-Sea, durante audiências com eleitores na Igreja Metodista de Belfairs.

A polícia de Essex anunciou no mesmo dia a detenção de um homem, mais tarde identificado como o britânico Ali Harbi Ali, de 25 anos e ascendência somali.

Na quinta-feira, o homem foi acusado formalmente pela morte de David Amess com base na Lei de Terrorismo.

No voto aprovado hoje, os deputados portugueses referem que David Amess morreu na sequência de um "ato classificado como terrorista pelo Governo Britânico e que, obviamente, é motivo de especial preocupação e repulsa para todos os democratas, e, em particular" para os "representantes do povo".

A Assembleia da República salienta que o deputado conservador, que "representava o círculo de Southend West (condado de Essex) desde 1997, tendo sido eleito para o Parlamento britânico, pela primeira vez, em 1983", serviu "dedicadamente os seus eleitores".

"Eleito pelo Partido Conservador, em 1982, para servir como Councillor pelo círculo eleitoral de Redbridge, foi apontado pela população de Basildon, sua terra predileta, para desempenhar esta mesma função em 1983", acrescentam.

O parlamento assinala que o primeiro-ministro britânico "elogiou 'sir' David Amess como 'uma das pessoas mais gentis e generosas na política', conhecido pela 'redação de leis para proteger os mais vulneráveis'".

Boris Johnson reagiu com "choque" e "tristeza" ao homicídio do deputado conservador David Amess na sequência de um ataque com uma faca, tendo ordenado que as bandeiras em edifícios públicos sejam mantidas a meia haste.

Nas notas biográficas constantes no voto, o parlamento português assinala ainda que David Amess nasceu "em Plainstow, Essex, a 26 de março de 1952" e "estudou economia na Universidade de Bournemouth, tendo desempenhado funções de professor primário".

"Católico, de 69 anos, casado, deixa agora cinco filhos", refere ainda.

Leia Também: Polícia acusa formalmente homem de 25 anos pela morte de deputado

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório