Meteorologia

  • 26 SETEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 14º MÁX 24º

Edição

Funcionários do ANC acusam dirigentes por fraude e corrupção

Um grupo de funcionários do Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), apresentaram hoje uma queixa-crime por "fraude, roubo e corrupção" contra os dirigentes do partido no poder na África do Sul.

Funcionários do ANC acusam dirigentes por fraude e corrupção
Notícias ao Minuto

17:43 - 15/09/21 por Lusa

Mundo Congresso Nacional Africano

As acusações, em nome de vários funcionários descontentes do ANC, visam o presidente do partido, Cyril Ramaphosa, que é também chefe de Estado, o seu vice-presidente, David Mabuza, a vice-secretária-geral Jessie Duarte, o tesoureiro Paul Mashatile, e o presidente do conselho de administração do partido, Gwede Mantashe, que integram a direção do partido no poder.

O funcionário demitido do ANC, Carl Niehaus, que apresentou hoje o caso na polícia sul-africana, adiantou que o partido no poder "não pagou as contribuições à Segurança Social dos seus funcionários, apesar de deduzi-las".

"Esta ação que eu e alguns outros membros do ANC apresentamos é com base no que aconteceu durante o meu período de emprego no ANC, e tenho todo o direito de fazer parte deste processo", sublinhou Niehaus.

O antigo porta-voz de Nelson Mandela e aliado do ex-presidente Jacob Zuma representava até à sua demissão pelo partido na passada quinta-feira a associação de antigos combatentes (MKMVA, na sigla em inglês) da ala armada do ANC, Umkhonto we Sizwe.

Por seu lado, McDonald Mathabe, que acompanhou Niehaus à esquadra de polícia, na baixa de Joanesburgo, referiu no local à imprensa que "não foi possível ficar calado sobre a grave má administração financeira que originou os crimes" hoje denunciados.

O ANC, partido no poder na África do Sul desde a queda do 'apartheid' em 1994, encontra-se aparentemente 'falido' com os salários dos seus funcionários em atraso há pelo menos três meses, segundo a imprensa local.

Em maio, o ANC suspendeu o seu secretário-geral, Ace Magashule, por enfrentar na justiça um caso de alegada fraude e corrupção pública de 255 milhões de rands (13,5 milhões de euros).

Leia Também: ANC apela à "calma" na África do Sul após detenção de Jacob Zuma

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório