Meteorologia

  • 28 JUNHO 2022
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 26º

Clima: Painel inicia reunião de duas semanas para aprovar relatório

Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas iniciou hoje uma reunião de duas semanas para analisar e aprovar a primeira parte do seu sexto relatório de avaliação, momento que coincide com fenómenos climáticos extremos em várias partes do mundo.

Clima: Painel inicia reunião de duas semanas para aprovar relatório

"Dissemos ao mundo que a ciência falou, agora compete aos responsáveis políticos adotarem ações", disse, na abertura da reunião, Hoesung Lee, que preside ao Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC, na sigla em inglês).

Com o título "Alterações climáticas 2021: a ciência física que a sustenta", o relatório, que se prevê seja apresentado em 09 de agosto, tem novos dados que explicam porque é que o clima mudou e o papel humano em fenómenos extremos como as recentes inundações na Europa Central, China e Índia e a onda de calor nos Estados Unidos e Canadá.

O relatório servirá de base científica para a Conferência da ONU sobre Alterações Climáticas (COP26) que juntará decisores políticos entre 31 de outubro e 12 de novembro, em Glasgow, no Reino Unido.

Organismo criado no seio da ONU, o IPCC publica este tipo de relatórios a cada seis ou sete anos. O anterior foi divulgado em 2014 e serviu de base para as discussões que conduziram ao Acordo de Paris, de 2015.

A diretora-executiva do Programa da ONU para o Meio Ambiente, Msuya Joyce, realçou que o relatório de 2021 dará ao mundo uma melhor compreensão sobre os fenómenos extremos e o impacto da pandemia da covid-19 nas alterações climáticas e na poluição do ar e manifestou-se confiante de que o documento estimule "uma ação global" à medida que se aproxima a COP26, cuja realização em 2020 foi cancelada devido à pandemia.

"Depois de anos de promessas, mas não de ações suficientes, [os fenómenos climáticos extremos] são advertências para superarmos esta crise que ameaça o nosso futuro coletivo", sublinhou.

A secretária-executiva da ONU para as Alterações Climáticas, Patricia Espinosa, advertiu que a realidade está longe das metas do Acordo de Paris, de limitar o aquecimento global a 1,5ºC.

"Vamos na direção contrária, até uma subida de 3ºC", afirmou, citando dados científicos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório