Meteorologia

  • 18 SETEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 24º

Edição

Líder supremo do Irão recebe primeira vacina desenvolvida no país

O líder supremo do Irão, Ali Khamenei, foi imunizado com a primeira vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Irão, noticiou hoje a televisão estatal.

Líder supremo do Irão recebe primeira vacina desenvolvida no país
Notícias ao Minuto

14:19 - 25/06/21 por Lusa

Mundo Covid-19

Ali Khamenei disse que não estava interessado em tomar vacinas de fabrico estrangeiro e decidiu "esperar pela vacina iraniana" porque, frisou: "temos de estar orgulhosos desta honra nacional".

O líder supremo proibiu, no mês de janeiro, a importação das vacinas norte-americanas e britânicas, no que se traduziu num sentimento de desconfiança em relação ao Ocidente.

A empresa farmacêutica iraniana Shifafarmed fabricou a vacina COVIran Barakat com base no SARS-CoV-2 inativo, que contou com os primeiros estudos sobre a segurança e eficácia do fármaco em finais de dezembro.

A autorização de emergência foi aprovada na semana passada, após o país ter enfrentado problemas na importação de vacinas.

A República Islâmica não publicou os dados sobre a eficácia da vacina, mas afirma que as pessoas obtêm cerca de 85% de imunidade ao novo coronavírus.

Além disso, o Irão também disse que está a desenvolver uma vacina com a cooperação de um país estrangeiro, apesar de outra vacina iraniana, produzida em conjunto com Cuba, estar prestes a entrar no pacote de vacinas administradas no país.

A investigação local de vacinas do Irão tornou-se uma prioridade, visto que as autoridades alegam que as pesadas sanções dos EUA irão dificultar os esforços de imunização em massa da República Islâmica.

O Irão mantém algum acesso às vacinas, nomeadamente através da sua participação na COVAX, uma iniciativa internacional concebida para distribuir vacinas a países, independentemente da sua riqueza.

Segundo as normas da COVAX, o Irão poderia encomendar doses suficientes para vacinar metade dos seus 82 milhões de habitantes.

Segundo o Ministério da Saúde, mais de 4,4 milhões de pessoas (de uma população total de 83 milhões) receberam uma primeira dose da vacina desde o início da campanha de vacinação em fevereiro, das quais pouco mais de um quarto receberam a segunda dose.

As autoridades de saúde iranianas afirmam que o número de mortos provocados pela Covid-19 aumentou hoje para 115 vítimas, totalizando 83.588 óbitos desde o início da pandemia.

A porta-voz do Ministério da Saúde, Sima Sadat Lari, divulgou que foram registados 10.820 novos casos confirmados durante o mesmo período, elevando esse total para 3.150.949.

Pelo menos 1.397 pessoas permaneceram hospitalizadas com o vírus, com 3.219 infetados em estado grave, acrescentou a porta-voz.

O Irão é o país mais atingido pelo vírus no Médio Oriente.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos 3.893.974 vítimas em todo o mundo, resultantes de mais de 179.516.790 casos de infeção diagnosticados oficialmente, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença respiratória é provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: Von der Leyen admite que UE está "preocupada" com variante Delta

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório