Meteorologia

  • 29 JULHO 2021
Tempo
22º
MIN 17º MÁX 28º

Edição

Etiópia: Primeiro-ministro apela à população para que vote nas eleições

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, exortou hoje a população a votar nas eleições gerais da próxima segunda-feira, 21 de junho, marcadas pelo conflito na região norte do Tigray e pelas tensões étnicas crescentes no país.

Etiópia: Primeiro-ministro apela à população para que vote nas eleições
Notícias ao Minuto

11:48 - 14/06/21 por Lusa

Mundo Etiópia

"Daqui a uma semana, nós, etíopes, votaremos nas sextas eleições nacionais, que serão a primeira tentativa de eleições livres e justas", escreveu Abiy, na sua conta da rede social Twitter.

"Vamos às urnas para exercer os direitos democráticos e o dever cívico, deixando uma marca geracional. Saia e vote na próxima segunda-feira", apelou o chefe do Governo etíope.

O apelo de Abiy surge depois de a Comissão Nacional de Eleições da Etiópia (NEBE) ter anunciado, na quinta-feira, que as eleições em duas regiões, Harari e Somali, foram adiadas para setembro próximo devido a irregularidades e problemas relacionados com a impressão dos boletins de voto.

As eleições também não se realizarão na região do Tigray, palco desde novembro passado de um conflito armado que já deixou milhares de mortos e centenas de milhares de deslocados, e ameaçada pela fome.

As três regiões são responsáveis por 63 dos 547 lugares na Câmara Baixa do Parlamento, cujos deputados serão escolhidos nestas eleições.

Segundo a NEBE, 37,4 milhões de eleitores inscreveram-se para participar nas eleições num país de cerca de 109 milhões de pessoas.

O Partido da Prosperidade (PP), que controla todos os lugares no parlamento, prometeu uma eleição credível e democrática, na qual Abiy, o vencedor do Prémio Nobel da Paz de 2019, procurará um novo mandato através de eleições indiretas.

Abiy - 44 anos e que chegou ao poder em abril de 2018 - promoveu importantes reformas na Etiópia, o segundo país mais populoso de África, tais como o fim do estado de emergência imposto pelo seu antecessor, a amnistia de milhares de presos políticos, a legalização dos partidos da oposição ou o compromisso de realizar eleições.

Mas, o chefe do Governo também tem sido criticado por não resolver alguns dos problemas de raiz, tais como as tensões étnicas que têm causado ondas de violência na Etiópia.

Foi também criticado por ter lançado a ofensiva militar de novembro contra a Frente de Libertação do Povo Tigray (TPLF), até então no poder naquela região.

As eleições gerais estiveram originalmente marcadas para agosto de 2020, mas foram adiadas devido à pandemia da covid-19.

Embora a Etiópia tenha realizado eleições desde 1995, com exceção das de 2005, nenhuma das votações foi verdadeiramente competitiva.

As eleições de 2005 foram seguidas de graves motins depois de a oposição ter protestado contra os resultados.

As forças de segurança mataram então cerca de 200 manifestantes e o Governo prendeu líderes políticos da oposição.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório