Meteorologia

  • 06 MAIO 2021
Tempo
23º
MIN 14º MÁX 23º

Edição

Biden e Putin acordam manter comunicação "pessoal e direta" entre ambos

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou esta quinta-feira que concordou com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, que manter uma "comunicação pessoal e direta entre ambos" será importante para melhorar a relação entre os dois países.

Biden e Putin acordam manter comunicação "pessoal e direta" entre ambos
Notícias ao Minuto

23:44 - 15/04/21 por Lusa

Mundo Rússia

Em discurso sobre a Rússia na Casa Branca, Biden afirmou que decorreu em tom "sincero e respeitoso" a conversa telefónica mantida esta quinta-feira com Putin para informar das sanções financeiras e expulsão de 10 diplomatas russos, em resposta a um ataque cibernético e à interferência em eleições norte-americanas, atribuídos a Moscovo.

"Quando falei com o presidente Putin, expressei minha convicção de que a comunicação pessoal e direta entre os dois é essencial para avançarmos em direção a um relacionamento mais eficaz, e ele concordou com esse ponto", disse o presidente dos Estados Unidos.

O presidente norte-americano manifestou preocupação com a acumulação de tropas russas na fronteira com a Ucrânia, e disse que os dois países podem colaborar ainda em questões como "as ameaças nucleares do Irão e da Coreia do Norte", a pandemia e as Alterações Climáticas.

"Creio que os Estados Unidos e a Rússia poderiam lançar um diálogo estratégico de estabilidade em busca de cooperação no controlo de armas e segurança", disse Biden.

"Os Estados Unidos não querem iniciar um ciclo de escalada e conflito com a Rússia. Queremos uma relação estável e previsível", disse o presidente dos Estados Unidos, sublinhando que a continuação da "interferência" russa na democracia norte-americana levará a novas retaliações. 

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou hoje um decreto que permitirá punir novamente a Rússia, de forma a provocar "consequências estratégicas e económicas", se Moscovo "continuar a promover uma escalada das suas ações de desestabilização internacional", informou a Casa Branca num comunicado.

Apesar da atitude de força de Washington, Biden pretende manter a ideia de uma cimeira EUA/Rússia para breve, disse hoje uma fonte oficial dos EUA em conversa com jornalistas, referindo-se a uma recente proposta feita pelo Presidente norte-americano durante uma conversa telefónica com Putin.

"Os russos ainda não responderam (...), mas acreditamos que nos próximos meses será crucial que os dois líderes se reúnam para discutir todas as questões que perturbam o nosso relacionamento", disse a fonte.

A cimeira deve permitir "encontrar uma maneira estável e eficiente de impedir qualquer escalada, antes que ela se intensifique", explicou a fonte.

O clima diplomático entre os dois países ficou hoje mais tenso devido às sanções norte-americanas, mas a fonte do Governo dos EUA disse que essas medidas eram inevitáveis perante o comportamento de Moscovo.

"As medidas que anunciamos hoje representam a nossa resposta pública, que queremos que seja firme, mas proporcional", acrescentou a fonte 

Leia Também: UE manifesta solidariedade com EUA perante o "ciberatividades maliciosas"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório