Meteorologia

  • 28 OUTUBRO 2021
Tempo
20º
MIN 13º MÁX 23º

Edição

Guterres "muito preocupado" com confrontos no Senegal

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, está "muito preocupado" com a recente violência verificada na capital senegalesa que se seguiu à detenção do opositor Ousmane Sonko, anunciou hoje o seu porta-voz.

Guterres "muito preocupado" com confrontos no Senegal

"[O secretário-geral da ONU] apela a todas as partes no Senegal para que evitem uma escalada da situação", acrescentou o porta-voz, Stéphane Dujarric, na conferência de imprensa diária após ter sido questionado sobre a violência hoje registada na capital senegalesa, Dacar.

"As manifestações devem permanecer pacíficas e as forças de segurança e policiais devem agir sempre em conformidade com os direitos humanos internacionais", em particular "permitir que os manifestantes expressem a sua opinião e vontade", disse o porta-voz, citado pela agência France-Presse.

A capital senegalesa, Dacar, foi hoje palco de conflitos entre as forças de segurança e centenas de jovens, dois dias depois da detenção do principal opositor do Governo, Ousmane Sonko, cuja custódia foi prolongada durante a tarde.

No distrito de Médina, no coração de Dacar, grupos de jovens atiravam pedras contra brigadas antimotim das forças policiais enquanto o som de granadas sonoras ecoava pelas ruas, segundo a agência noticiosa francesa.

A detenção de Sonko, terceiro nas eleições presidenciais de 2019 e visto como um dos principais concorrentes das eleições presidenciais de 2024, desencadeou também o saque e pilhagem de lojas. De acordo com o presidente da empresa de retalho francesa Auchan, Edgard Bonte, 14 supermercados da empresa foram "atacados" na quinta-feira em Dacar.

Além de ter provocado a ira dos seus apoiantes, os senegaleses assinalam que a detenção de Sonko foi o clímax da revolta no país, cuja população enfrenta dificuldades há mais de um ano, agravadas pela pandemia de covid-19.

Na avenida Blaise Diagne, uma das principais artérias de Dacar, dezenas de jovens que pediam a libertação de Sonko conseguiram, ainda que temporariamente, afastar a polícia, apesar da forte presença de gás lacrimogéneo.

Já em Mbao, nos subúrbios da capital, a existência de pilhagens foi também observada por um jornalista da AFP.

No distrito de Plateau, que integra importantes edifícios, como a residência do Presidente do país, vários ministérios, e a sede do Banco Central dos Estados da África Ocidental (BCEAO), o trânsito era quase nulo.

As manifestações, que tiveram início há vários dias, provocaram a morte de pelo menos uma pessoa.

A custódia policial de Sonko, que começou na passada quarta-feira, foi prolongada hoje e deverá terminar no domingo, segundo os seus advogados.

Sonko foi formalmente detido sob a acusação de perturbação da ordem pública, quando se dirigia ao tribunal onde foi intimado a responder a acusações de violação.

Sonko, 46 anos, é alvo de uma queixa por violação e ameaças de morte, apresentadas no início de fevereiro por uma funcionária de um salão de beleza, onde o político recebia massagens para, segundo o próprio, aliviar dores de costas.

Personalidade com um perfil antissistema e discurso impetuoso, o deputado refuta as acusações e diz-se vítima de uma conspiração patrocinada pelo Presidente, Macky Sall, com o objetivo de o manter fora das próximas eleições presidenciais em 2024.

Sall negou estas insinuações no final de fevereiro, mas desde então tem mantido silêncio sobre o caso.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório