Meteorologia

  • 26 OUTUBRO 2021
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 25º

Edição

Diplomatas obrigados a informar autoridades de deslocações na RDCongo

Os diplomatas acreditados em Kinshasa são agora obrigados a informar antecipadamente as autoridades dos seus movimentos dentro da República Democrática do Congo, após o assassínio, na segunda-feira, do embaixador italiano no leste do país, anunciou hoje a televisão pública.

Diplomatas obrigados a informar autoridades de deslocações na RDCongo
Notícias ao Minuto

11:51 - 24/02/21 por Lusa

Mundo Congo

No final da reunião presidida na terça-feira pelo chefe de Estado, Felix Tshisekedi, foi decidido que "todos os diplomatas presentes no território nacional são agora obrigados a comunicar qualquer movimento dentro do país ao Governo", disse a presidência congolesa numa declaração.

Os diplomatas "devem absolutamente informar o Ministério dos Negócios Estrangeiros" antes de qualquer viagem e "reportar" aos funcionários locais à chegada a uma entidade, disse a chefe da diplomacia congolesa Marie-Thérèse Tumba Nzeza na televisão estatal - RTNC.

O embaixador italiano Luca Attanasio, 43 anos, morreu de ferimentos de bala quando o comboio do Programa Alimentar Mundial (PAM) em que viajava foi emboscado na província oriental do Kivu do Norte, perto da fronteira com o Ruanda.

O seu guarda-costas italiano, Carabiniere Vittorio Iacovacci, e um motorista congolês do PAM, Moustapha Milambo, também foram mortos.

Os corpos dos dois diplomatas foram repatriados para Roma na terça-feira e Moustapha Milambo foi enterrado no mesmo dia em Goma, a capital do Kivu do Norte.

A Itália pediu hoje à ONU que abrisse uma investigação e "respostas claras" após esta tragédia.

"Pedimos formalmente ao PAM e à ONU que abrissem uma investigação para esclarecer o que aconteceu, por que razão foram tomadas as medidas de segurança e quem é responsável por estas decisões", disse Di Maio aos deputados italianos.

A conturbada província do Kivu Norte é considerada uma das zonas mais perigosas da RDCongo, no limite do Parque Nacional da Virunga.

No entanto, de acordo com os funcionários humanitários, a rota em que o comboio viajava não necessitava de escolta.

Leia Também: Corpos de embaixador e guarda-costas mortos repatriados para Itália

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório