Meteorologia

  • 05 MARçO 2021
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Justiça belga analisa processos de cúmplices dos atentados em Paris

A justiça belga começou hoje a analisar, à porta fechada, as acusações contra vinte suspeitos de cumplicidade com os autores dos atentados de novembro de 2015 em Paris.

Justiça belga analisa processos de cúmplices dos atentados em Paris
Notícias ao Minuto

16:00 - 02/02/21 por Lusa

Mundo atentados

A secção do tribunal de Bruxelas encarregue do caso deverá decidir em 24 de fevereiro sobre os alegados cúmplices dos autores dos atentados de 13 de novembro de 2015 em Paris, uma vez analisadas as provas do Ministério Público.

Dos vinte suspeitos, a acusação pede que 12 sejam julgados por "participação em atividades de um grupo terrorista", enquanto outros dois estão acusados por posse de armas e falsificação de documentos, tendo ainda sido pedida a separação do processo relativamente a um outro suspeito, para que possa ser também julgado por outro caso em que poderá estar envolvido.

O Ministério Público pediu ainda o arquivamento de outros cinco casos, por insuficiência de provas.

Os ataques de 13 de novembro de 2015, reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico e que mataram 130 pessoas em Paris e na cidade vizinha de Saint-Denis, foram em grande parte preparados a partir da Bélgica.

O processo de investigação belga, denominado "Paris Bis" pelo Ministério Público federal, envolve os suspeitos que não foram detidos no processo judicial francês.

Os principais suspeitos são Salah Abdeslam, nascido em Bruxelas e detido na capital belga em 18 de março de 2016, e Mohamed Abrini, que esteve envolvido também nos atentados em Bruxelas (22 de março de 2016, que mataram 32 pessoas no aeroporto no metro).

Leia Também: Líder religioso e civil morrem numa série de atentados em Cabul

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório