Meteorologia

  • 06 MARçO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 21º

Edição

Diretor do Programa Alimentar defende reforço do abastecimento vulnerável

O diretor do Programa Alimentar Mundial (PAM) disse hoje que a pandemia de covid-19 realçou a necessidade de reforçar as cadeias de abastecimento vulneráveis às nações empobrecidas, que lutam para alimentar as suas populações.

Diretor do Programa Alimentar defende reforço do abastecimento vulnerável
Notícias ao Minuto

12:11 - 27/01/21 por Lusa

Mundo Covis-19

David Beasley, diretor executivo do programa da Organização das Nações Unidas, distinguido com o Prémio Nobel da Paz em 2020, afirmou que a pandemia colocou mais ênfase nas cadeias de abastecimento que levam os alimentos aos famintos.

"Temos de continuar a trabalhar o sistema, temos de nos certificar de que somos... menos vulneráveis aos impactos do tipo covid", disse Beasley, a um painel virtual do Fórum Económico Mundial.

"Se pensa que teve dificuldades em obter papel higiénico em Nova Iorque, devido à rutura da cadeia de abastecimento, o que pensa que está a acontecer no Chade e no Níger e no Mali e em lugares como esses?", questionou.

Beasley salientou que o sistema de abastecimento alimentar "não está quebrado", mas que 10% da população global está em extrema pobreza e precisa de ser abastecida pelos fornecedores, um problema que esta pandemia exacerbou.

"Com 270 milhões de pessoas à beira da fome, se não recebermos o apoio e os fundos de que necessitamos, haverá fome em massa, desestabilização das nações e migração em massa. E o custo disso é mil vezes maior", frisou o diretor do PAM.

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, cujo país é um centro de inovação agrícola e um grande exportador de produtos agrícolas, anunciou que o seu país iria acolher um centro de coordenação global para "polos regionais de inovação alimentar", estabelecidos pelo Fórum Económico Mundial para ajudar a enfrentar o que chamou de "desafios do sistema alimentar".

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.149.818 mortos resultantes de mais de 100 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos da América.

A covid-19 é uma doença respiratória causada por um novo coronavírus (tipo de vírus) detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: Médicos do Peru em greve de fome por melhores condições de trabalho

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório