Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2020
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Honduras avisa migrantes que possibilidade de entrarem nos EUA "é nula"

A ministra dos Negócios Estrangeiros das Honduras, Nelly Jerez, avisou hoje os hondurenhos que saíram quarta-feira numa caravana humana com mais de "1.250 migrantes" que a possibilidade de entrarem nos Estados Unidos "é nula".

Honduras avisa migrantes que possibilidade de entrarem nos EUA "é nula"

Nelly Jerez pediu aos compatriotas que não se exponham à pandemia provocada pela covid-19 e à crescente xenofobia na Guatemala e no México.

Jerez explicou numa entrevista à agência Efe que a crise provocada pela covid-19 exacerbou a xenofobia contra estes imigrantes a caminho dos Estados Unidos, onde "a possibilidade de eles permanecerem é nula, mesmo com famílias ou crianças".

A ministra dos Negócios Estrangeiros, que está de visita aos Estados Unidos, recordou que, entre outubro de 2019 e setembro deste ano, o Governo dos EUA repatriou mais de 335 mil imigrantes, incluindo cerca de 35 mil hondurenhos, 40 mil guatemaltecos e 200 mil mexicanos.

Jerez sublinhou que esta é a primeira caravana durante a pandemia, o que representa um risco acrescido a que os migrantes estão expostos.

Segundo a governante, estes migrantes estão sujeitos a extorsão, tráfico humano, rapto, exploração sexual e até à morte.

Nelly Jerez apelou para que os migrantes desistam da viagem e lembrou que desde janeiro 31.022 cidadãos hondurenhos regressaram às Honduras, incluindo cerca de 12.000 dos Estados Unidos e 17.000 do México.

Jerez, que irá inaugurar um consulado em Charlotte, Carolina do Norte, no sábado, salientou que esta é uma rota de "dor, luto e morte", responsável por pelo menos 555 desaparecidos desde 2014.

A governante recordou que desde 2018 foram formadas pelo menos onze caravanas nas Honduras, patrocinadas por "grupos criminosos compostos por traficantes de seres humanos, crime organizado e políticos sem escrúpulos", e que esta é a quarta a deixar o país.

Pelo menos 3.000 migrantes indocumentados hondurenhos atravessaram hoje, numa caravana humana, a fronteira para a Guatemala rumo aos Estados Unidos da América.

Os migrantes tinham deixado San Pedro Sula, a segunda maior cidade das Honduras, 180 quilómetros a norte de Tegucigalpa, capital do país, na quarta-feira à noite, numa tentativa de chegar aos Estados Unidos para escapar à pobreza e violência no país centro-americano.

O Instituto Guatemalteco das Migrações disse hoje aos jornalistas que às 11:45 (18:45 em Lisboa) aproximadamente 3.000 pessoas tinham entrado de manhã, em diferentes alturas, na Guatemala, através da fronteira de El Corinto, localizada a 250 quilómetros a leste da capital do país.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório