Meteorologia

  • 31 OUTUBRO 2020
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 23º

Edição

AO MINUTO: Mais 825 novos casos e 8 mortos; Brigadas já a postos

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a Covid-19 em Portugal e no Mundo.

AO MINUTO: Mais 825 novos casos e 8 mortos; Brigadas já a postos

Portugal prolonga esta quarta-feira a situação de contingência que vigorará até ao dia 14 de outubro no território continental. Hoje foi também o dia de Graça Freitas, diretora-geral de Saúde, ser ouvida no Parlamento sobre os surtos de Covid-19 nos lares de idosos, em particular, sobre a resposta no lar de Reguengos de Monsaraz. 

O número de casos ativos de infeção pelo novo coronavírus continua a aumentar diariamente em Portugal, tendo esta quarta-feira sido notificados 825 casos e oito mortes.

A pandemia já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 33,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo.

Consulte os mapas da evolução da pandemia do novo coronavírus em Portugal e no Mundo.

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a Covid-19 em Portugal e no Mundo:

16h00 - Este registo termina aqui, mas pode continuar a seguir-nos, AO MINUTO, ao longo da tarde e noite. 

15h20 -  De acordo com Marta Temido, o valor médio do RT (indicador de transmissibilidade) de 21 a 25 de setembro é de 1,07, sendo que o mais alto (1,16) diz respeito ao Algarve e o mais baixo (0,9) ao Alentejo.

14h55 - A ministra da Saúde esclareceu, durante a conferência de imprensa desta quarta-feira, que "97,3% dos casos ativos [de Covid-19 em Portugal] estão em casa e 2,3% em enfermaria".

14h47 - Intervenção inesperada e invulgar. O presidente da Câmara dos Comuns, Lindsay Hoyle, acusou hoje o Governo de Boris Johnson de tratar o Parlamento britânico com "desprezo" na introdução de restrições para travar a pandemia covid-19 no Reino Unido. 

14h40 - O ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, anunciou, esta quarta-feira, alterações ao apoio à retoma progressiva - o sucedâneo do lay-off simplificado. Uma das quais é a criação de um novo escalão para as empresas com quebras de faturação entre os 25% e os 40%

14h30 - Acompanhe em direto a conferência de imprensa da DGS, com a ministra Marta Temido e a diretora-geral da DGS, Graça Freiras

14h15 - O presidente do GénovaEnrico Preziosi, pediu hoje o adiamento do jogo de sábado com o Torino, da Série A italiana de futebol, depois de terem sido detetados 14 casos positivos à covid-19 no emblema que dirige.

14h05 - Portugal regista, esta quarta-feira, 825 casos novos casos de Covid-19 e oito mortes. Veja aqui os números da pandemia no nosso país.

13h58 - Brigadas de intervenção em ação a partir de amanhã. As brigadas distritais de intervenção rápida de apoio a lares com surtos de Covid-19 estão prontas para começar na quinta-feira, garantiu o Instituto da Segurança Social, segundo o qual o apoio médico e de psicólogos faz-se consoante as necessidades. De acordo com o Instituto de Segurança Social (ISS), as brigadas estão "constituídas em todos os distritos e começam já o seu trabalho a 1 de outubro", tal como anunciado.

"Encontram-se nesta data integrados 216 ajudantes de ação direta, 27 auxiliares de serviços gerais, 56 enfermeiros, 20 médicos e 20 psicólogos", adianta o ISS, o que totaliza 339 profissionais.

13h55 - Portugal está perante "um furacão". O bastonário da Ordem dos Médicos afirmou hoje que Portugal está perante "um furacão" e que será "extraordinariamente difícil" lutar contra ele "apenas com o Serviço Nacional de Saúde", referindo-se à luta contra a pandemia.

13h50 - Pelo menos 5.653 mortos em todo o mundo nas últimas 24 horas. A pandemia do novo coronavírus provocou pelo menos 5.653 mortos nas últimas 24 horas, elevando para 1.012.093 os mortos no mundo desde o surgimento da doença no final de dezembro, indica um balanço diário da AFP.

13h45 - A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu hoje o desempenho do seu Governo durante a pandemia do coronavírus, dizendo aos deputados que o país se saiu bem em comparação com muitos dos seus pares.

13h18 - Graça Freitas referiu que até às 00h00 do dia 28 registavam-se 12 surtos em escolas, envolvendo 78 pessoas, mantendo-se a informação que tinha sido avançada na conferência de imprensa de segunda-feira. 

13h05 - Surto no Lar dos Ferroviários. O número de infetados com o novo coronavirus SARS-CoV-2 no Lar dos Ferroviários, no Entroncamento (Santarém), subiu para 51, tendo morrido uma das idosas que tinha testado positivo, disse o presidente do município.

12h25 - Evolução na Rússia. Rússia já divulgou o balanço diário de infetados e mortos por Covid-19, sendo que esta quarta-feira o país registou mais 8.481 casos da doença e mais 177 mortos. No total, e desde que a pandemia teve início, o país já registou 1,17 milhões de casos e 20.700 mortes. 

12h10 - Surto no Hospital de Beja. O número de profissionais de saúde infetados no surto de Covid-19 identificado no bloco operatório do hospital de Beja subiu de 31 para 32, divulgou hoje a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA).

11h55 - Portugal tem 302 surtos ativos no país, a maior parte no Norte, todos eles caracterizados pelas autoridades de saúde, segundo os dados revelados hoje no Parlamento pela diretora-geral da saúde. 123 são na Região Norte, 33 no Centro, 106 em Lisboa e Vale do Tejo, 17 no Alentejo e 23 no Algarve.

11h20 - A taxa de desemprego foi de 7,9% em julho e terá aumentado para 8,1% em agosto, de acordo com os dados atualizados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), esta quarta-feira. Na estimativa provisória, o INE estimava uma taxa que a taxa de desemprego tinha sido de 8,1% em julho

11h00 - "Não estamos tão às escuras como poderão pensar", disse hoje Graça Freitas, respondendo aos deputados no Parlamento, onde realçou, mais do que uma vez, que "nenhum país estava preparado para uma catástrofe desta dimensão". "Fizemos um longo percurso nos últimos oito meses (...) Isto é tudo aos milhões, só testes são mais de dois milhões", enfatizou, "Uma coisa são os números online, estes dados não são finos, esta informação não é 100% correcta", acrescentou. 

A diretora-geral da saúde disse ainda que não está no terreno, mas que não está alheia ao que se passa.  "Não levito. Estou noutro nível do terreno, mas há uma rede (...)", declarou, afirmando existir uma "interação grande entre o nível local, regional e nacional". "Creio que me deito todos os dias tranquila em relação à informação. Em cada momento, a DGS conta com as pessoas que alimentam o sistema de informação (sejam professores, médicos, laboratórios públicos, privados ou da academia), porque são eles que sabem em primeira mão e reportam. O que não é reportado e notificado não pode ser apanhado por nenhum radar ou sensor", disse. 

Por fim, e defendendo o sistema de informação português das críticas de que tem sido alvo por algumas incongruências no reporte dos dados da pandemia, Graça Freitas assegurou que Portugal tem um sistema "robusto". "Não temos um sistema de informação perfeito, mas temos um sistema que se vai aperfeiçoando todos os dias. Está na altura de não pormos o nosso país nas bocas no mundo a dizer que a nossa informação não é boa. Nem é patriótico. Não é defesa da DGS, é a defesa do país. Somos, se calhar, o único país que nunca interrompeu a divulgação dos dados, nos dias bons, nos dias maus.  (...) Temos um sistema que é robusto, não é perfeito, mas é bastante bom e vai sempre melhorando. Não somos um país desgraçado em termos de informação", rematou. 

10h40 - Evolução em Espanha. Espanha pondera encerrar Madrid e mais 10 cidades por "situação extrema". De acordo com o El Mundo, "as comunidades autónomas com mais de 250 casos terão também de tomar medidas extraordinárias".

10h35 - Graça Freitas adiantou hoje no Parlamento que há, neste momento, 51 surtos ativos em lares, de acordo com a atualização feita à meia-noite.  A distribuição dos surtos é a seguinte: 10 Norte, dois na região Centro, 35 em Lisboa e Vale do Tejo, três Alentejo e três no Algarve.

10h30 - Empresa farmacêutica alemã inicia 2.ª fase de ensaios clínicos de vacina. A empresa farmacêutica alemã CureVac anunciou ter iniciado a segunda fase de ensaios clínicos da sua vacina experimental para a Covid-19.

10h15 - "Não houve inação em Reguengos". Em Reguengos de Monsaraz, onde morreram 18 pessoas devido à Covid-19, Graça Freitas não apontou responsabilidades e destacou a capacidade de adaptação de todos as entidades envolvidas.  "(...) os médicos deram o seu melhor, a saúde pública deu o seu melhor, foram corrigindo problemas e dando formação", afirmou.

O cenário encontrado nos primeiro dia naquele lar, defendeu, foi sendo melhorado dia para dia "As melhorias foram-se fazendo. Não houve inação. Todos os intervenientes foram colmatando as dificuldades, inclusive o pessoal da instituição. Foram-se tentando resolver os problemas, de dia para dia houve uma melhoria".

Nas palavras de Graça Freitas, no lar de Reguengos "houve adaptação" e uma política "inteligente" de testagem na segunda volta. A responsável referiu ainda que é possível que já existissem infeções antes de ter sido detectada a primeira, no dia 17 de junho, daí que seja tão importante implementar medidas preventivas e estar atentos aos primeiros sinais de um caso suspeito.  Essa, vincou, "é uma das lições aprendidas". "A rapidez da intervenção é fundamental", acrescentou.

Graça Freitas esclareceu o fio dos acontecimentos, referindo os dados que constam dos vários relatórios para defender que os profissionais e os utentes foram testados logo no dia seguinte ao aparecimento do primeiro caso e que voltaram a ser em duas rondas seguintes. "Provavelmente, houve pessoas sintomáticas ligeiras" antes do dia 17, disse, realçando que a intervenção "foi bastante precoce" e que a política de testagem foi intensiva. 

10h00 - Graça Freitas reafirmou esta quarta-feira que o país e o mundo não estavam preparados para enfrentar uma pandemia. "Não estávamos, nem nós nem nenhum país do mundo, preparados para uma pandemia", começou por dizer, respondendo às questões dos deputados. A diretora-geral da saúde sublinhou que "o grande desafio da doença é o momento cego em que não sabemos o que se passa", relembrando que mesmo quando um teste dá negativo, isso "não é a garantia absoluta" de que a pessoa não esteja a incubar a doença. 

Sublinhando que, apesar deste novo coronavírus não ter um comportamento sazonal, "é expectável" que ocorram mais casos no outono e inverno. A responsável explicou que, em relação aos surtos nos lares de idosos, estes ocorrem sobretudo devido ao contacto dos profissionais vindos do exterior.  "Faz parte da sua função, todos os dias entram profissionais nos lares, por mais cuidadosos que sejam, há sempre o risco" de levarem o vírus.

A diretora-geral referiu também que o país não vai ser uniforme no próximo inverno, tal como não foi no início da pandemia, pelo que, "onde a circulação do vírus é mais ativa, temos de ter uma preocupação acrescida", sendo a "estratificação do risco" um passo importante.

9h55 - Um total de 16 profissionais de Saúde do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) está em confinamento profilático em casa, devido a contacto com um doente que testou positivo para a Covid-19.

9h45 - Graça Freitas responde às questões dos deputados no Parlamento. Acompanhe aqui

9h30 - Evolução na Alemanha: A autoridades alemãs declararam hoje que registaram 1.798 casos do novo coronavírus, além de 17 óbitos, nas últimas 24 horas, um dia após a aprovação de medidas mais rígidas para conter a propagação do vírus.

9h10 - António Vitorino nunca imaginou o "que o esperava". A Covid-19 e suas consequências na mobilidade das pessoas foi o maior desafio enfrentado pelo diretor-geral da Organização Internacional das Migrações em dois anos de mandato, pelo que a recuperação é o principal objetivo de António Vitorino.

Apesar de considerar que a organização tem flexibilidade suficiente para responder aos impactos mais diretos da pandemia na vida dos migrantes, António Vitorino reconhece que a verdadeira questão vai pôr-se no longo prazo.

"A questão prende-se, sobretudo, com as consequências económicas e sociais que a pandemia vai acarretar" e "os imigrantes são, normalmente, as pessoas mais vulneráveis nas sociedades, são os primeiros a perder o emprego, designadamente as mulheres e as raparigas [que] são particularmente vulneráveis, sujeitas a exploração, a abusos, a violência sexual", disse.

9h00 - O vereador da Educação da Câmara de Lisboa propõe a testagem à covid-19 de professores, alunos e assistentes operacionais da cidade, com recurso a testes rápidos, salientando a importância da identificação precoce de casos positivos pré-sintomáticos.

8h30 - Evolução no México. O México registou 560 mortos e 4.446 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 77.163 e o de casos para 738.163, de acordo com as autoridades.8h20 - Evolução na Argentina. A Argentina registou 406 mortos e 13.477 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando o número de óbitos para 16.519 e de casos para 736.609, de acordo com as autoridades.

8h10 - Evolução na Índia. A Índia registou 1.179 mortes provocadas pelo novo coronavírus no último dia, além de 80.472 casos, um declínio no número diário de infeções, que chegaram a rondar 100 mil em meados deste mês. Desde o início da pandemia, a Índia contabilizou 97.497 mortos e mais de 6,2 milhões de casos, com 2,5 milhões só em setembro, esperando-se que em algumas semanas ultrapasse os Estados Unidos, atualmente o país com mais infetados (mais de 7,1 milhões).

8h00 - Evolução nos EUA. Os Estados Unidos registaram 871 mortos e 39.457 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo a contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Com este último balanço o país atingiu um total de 205.895 óbitos e 7.186.527 casos confirmados na segunda-feira.

7h40 - O prazo para pedir o acesso às moratórias bancárias termina esta quarta-feira, 30 de setembro, dia em que também acaba a suspensão dos serviços essenciais no âmbito da pandemia. Além disso, os trabalhadores independentes também têm até esta quarta-feira para pedir os apoios referentes a meses anteriores. Saiba tudo aqui.

7h30 - A diretora-geral de Saúde, Graça Freitas, vai ser hoje ouvida no Parlamento, na Comissão de Saúde em conjunto com a Comissão de Trabalho e Segurança Social, sobre os surtos de Covid-19 nos lares de idosos, numa audição requerida pelo CDS. O surto que causou 18 mortes no lar de Reguengos de Monsaraz será o foco da audição. 

7h00 - Bom dia! Iniciamos aqui o acompanhamento AO MINUTO dos mais recentes desenvolvimentos da pandemia em Portugal e no Mundo. Por cá, o país entra hoje no segundo período de contingência que vai vigorar até ao dia 14 de outubro

Recorde as regras em vigor neste período:

  • Entre as medidas aplicadas está a limitação das concentrações a 10 pessoas, salvo se pertencentes ao mesmo agregado familiar, na via pública e em estabelecimentos e a proibição da venda de bebidas alcoólicas em áreas de serviço ou em postos de abastecimento de combustíveis.
  • A prorrogação do estado de contingência implica ainda a proibição da venda de bebidas alcoólicas, a partir das 20h00, nos estabelecimentos de comércio a retalho, incluindo supermercados e hipermercados e a proibição do consumo de bebidas alcoólicas em espaços exteriores dos estabelecimentos de restauração e bebidas no após as 20h00, salvo no âmbito do serviço de refeições.

*Recorde aqui as incidências do dia anterior 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório