Meteorologia

  • 03 ABRIL 2020
Tempo
13º
MIN 8º MÁX 20º

Edição

Trump quer o país "reaberto" até 12 de abril, contra advertências da OMS

Presidente norte-americano volta a insistir na reabertura dos serviços nos Estados Unidos, apontando para dia 12 de abril como prazo máximo.

Trump quer o país "reaberto" até 12 de abril, contra advertências da OMS

Donald Trump afirmou, esta terça-feira, que quer que a economia norte-americana seja "reaberta" até ao domingo de Páscoa, ou seja, até 12 de abril, em menos de três semanas. Esta indicação, numa altura em que os números confirmados de infeção estão a acelerar nos Estados Unidos, vai contra todas as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) dadas até ao momento.

Numa entrevista concedida à Fox News via videoconferência, a partir da Casa Branca, o presidente norte-americano reforçou afirmações que já havia feito na segunda-feira e que colidem com as orientações seguidas em todos os outros países afetados. "Vamos reabrir este país incrível porque temos que o fazer. Adorava poder fazer isso até à Páscoa", disse.

A 19 dias do domingo de Páscoa e numa altura em que muitos estados acabam de impor uma quarentena aos seus habitantes para conter a propagação a pandemia da covid-19, Trump insistiu que é preciso reativar a economia.

"Na minha opinião, vai morrer muito mais gente se permitirmos que isto [o isolamento] continue", acredita o presidente, referindo-se ao aumento do desemprego e à ruína financeira de alguns negócios, que provocarão "milhares de suicídios" se o país continuar paralisado.

Recorde-se que já esta terça-feira, o líder republicano tinha recorrido ao Twitter para manifestar opinião nesse sentido. "Os nossos cidadãos vão voltar ao trabalho. Vão praticar o distanciamento social e os idosos serão vigiados com atenção e amor. Podemos fazer as duas coisas ao mesmo tempo. A cura não pode ser pior (de longe) que o problema", escreveu.

A Casa Branca anunciou que está a ponderar formas de facilitar as orientações de distanciamento social que tiraram os trabalhadores dos seus postos, encerraram escolas e estão a provocar uma desaceleração generalizada da economia.

Trump lembrou que também milhares de pessoas morrem de gripe sazonal ou em acidentes automóveis, reiterando a necessidade de impedir que a economia entre em colapso.

O mais recente balanço sobre a situação nos EUA, divulgado na madrugada de hoje pela OMS, mostra que o número de pessoas infetadas e de morte com covid-19 duplicou nas últimas 24 horas, elevando o número total para 31.573 casos positivos e 402 vítimas mortais.

"Estamos a assistir a uma disseminação muito rápida de casos nos EUA", disse hoje Margaret Harris, porta-voz da OMS, numa conferência de Imprensa, em Genebra, no mesmo dia em que as autoridades norte-americanas revelaram que Nova Iorque está a ver o número de casos confirmados duplicar a cada três dias.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório