Meteorologia

  • 01 MARçO 2021
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 18º

Edição

Primeiro-ministro cessante do Líbano renuncia a recandidatura ao cargo

O primeiro-ministro cessante do Líbano Saad Hariri anunciou hoje que não se recandidatará à chefia do governo, um mês após a sua demissão e na sequência de contínuos protestos e de uma grave crise económica e financeira.

Primeiro-ministro cessante do Líbano renuncia a recandidatura ao cargo
Notícias ao Minuto

14:04 - 26/11/19 por Lusa

Mundo Saad Hariri

Numa declaração emitida na quarta-feira, Hariri tinha apelado ao Presidente Michel Aoun para iniciar consultas com os líderes dos blocos parlamentares com o objetivo de designar um novo primeiro-ministro.

Hariri apresentou a sua resignação do executivo em 29 de outubro em resposta às manifestações antigovernamentais no país que decorriam há duas semanas. Os protestos são dirigidos contra a corrupção, incompetência e a má gestão da elite no poder.

O primeiro-ministro cessante considerou que a retirada da sua candidatura poderá desbloquear o atual impasse político e garantir uma solução governativa. Insistiu ainda na necessidade de o novo governo ser integrado por tecnocratas para que o Líbano ultrapasse a atual crise.

Os protestos começaram como parte de um movimento espontâneo que cresceu nas ruas e tem afetado vários setores sociais, provocando o encerramento de estradas, bancos e escolas.

A mobilização é geralmente baixa durante a semana em comparação com o fim de semana, com uma aparente normalidade devido à retoma do trabalho no setor privado e à reabertura de bancos e escolas, fechados por várias semanas.

O Líbano é um país onde necessidades básicas - como água, eletricidade e acesso universal aos cuidados - não são asseguradas 30 anos após o fim da guerra civil e onde a classe política quase inalterada desde então é considerada corrupta e incompetente.

O país mediterrânico regista ainda um colapso económico agravado pela corrupção do Governo e tornou-se num dos países mais endividados do mundo.

A crise económica foi agravada com o encerramento dos bancos durante três semanas desde 17 de outubro, até a imposição de um limite para a retirada de dólares das contas correntes.

O Líbano terminou com o jugo francês em 1943 na sequência de manifestações populares que juntaram cristãos e muçulmanos.

De seguida, o país mergulhou numa guerra civil (1975-1990), e registou duas ocupações estrangeiras, israelita e síria. Permanece profundamente dividido, em termos confessionais e políticos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório