Meteorologia

  • 19 MAIO 2022
Tempo
28º
MIN 14º MÁX 29º

Ex-ministro sul-africano reafirma decisão de extraditar Chang para o país

O ex-ministro da Justiça sul-africano Michael Masutha insistiu hoje na sua decisão de extraditar o antigo ministro moçambicano Manuel Chang para Moçambique, depois anulada pelo seu sucessor, justificando o seu parecer com os "factos apresentados" em maio.

Ex-ministro sul-africano reafirma decisão de extraditar Chang para o país

"Analisei objetivamente todos os factos que me foram apresentados e a balança dos factos favorecia a extradição para Moçambique", afirma Michael Masutha, em entrevista publicada hoje pelo diário sul-africano Business Day.

O ex-governante sul-africano sublinha que: "Se tivesse sido informado na altura sobre a questão [da imunidade], teria levado isso em consideração quando tomei a minha decisão".

"Eu não poderia ter razoavelmente ignorado deliberadamente quaisquer factos que seriam relevantes sobre o assunto", afirma Masutha.

"Chang já não é deputado, de forma que a imunidade foi levantada, o que significa que ele é extraditável para Moçambique", refere o ex-ministro sul-africano.

Michael Masutha, que foi nomeado pelo ex-Presidente Jacob Zuma, por sua vez afastado do poder pelo seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês) em fevereiro, anunciou em 21 de maio, o seu último dia no Governo, que "o interesse da Justiça será mais bem servido ao atender ao pedido de extradição de Moçambique".

No mandato de Masutha, o ex-ministro das Finanças de Moçambique Manuel Chang enfrentou, no âmbito do caso das dívidas ocultas, dois pedidos de extradição - dos EUA e de Moçambique - onde na altura gozava de imunidade parlamentar.

Em 13 de julho, o atual ministro da Justiça sul-africano Ronald Lamola solicitou, após a sua nomeação pelo Presidente Cyril Ramaphosa, que a decisão do anterior ministro da Justiça fosse analisada e anulada por ser contrária às disposições da Lei de Extradição sul-africana e ao protocolo de extradição do SADC (Comunidade de Desenvolvimento da África Austral).

Desde então, o ex-governante Manuel Chang, que é um alto quadro da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), o partido no poder em Moçambique desde 1975, renunciou ao lugar de deputado à Assembleia da República e perdeu a imunidade inerente ao cargo, anunciou em 24 de julho, em Maputo, a presidente do parlamento moçambicano, Verónica Macamo.

Em 01 de novembro, o Tribunal Superior da África do Sul, divisão de Gauteng, considerou que "o facto de [Manuel Chang] ter renunciado ao cargo de membro do Governo Nacional em 29 de julho de 2019 para renunciar à imunidade não tem impacto sobre as decisões do [atual] ministro, uma vez que devem ser substanciadas com base nos factos presentes à data em que a decisão foi tomada".

O tribunal ordenou o atual ministro da Justiça, Ronald Lamola, a determinar novamente se o ex-ministro das Finanças moçambicano Manuel Chang (no segundo mandato de Armando Guebuza, entre 2010 e 2015), que é acusado de fraude, corrupção e lavagem de dinheiro pela Justiça norte-americana, deve ser extraditado para o seu país ou para os Estados Unidos.

Na sentença, a que a Lusa teve acesso, esta alta instância da Justiça sul-africana, em Joanesburgo, refere que o ex-ministro Masutha foi informado sobre os requerimentos da lei sul-africana em 19 de maio pelo principal assessor jurídico em Relações Internacionais do Estado, o advogado Herman van Heerden.

De acordo com o Tribunal sul-africano, Van Heerden estava na altura "ciente da ligação entre o cargo de Chang no governo e a sua possível imunidade" e requereu nesse sentido em fevereiro à procuradora-geral da República de Moçambique (PGR), Beatriz Buchili, que esclarecesse "se o Sr. Chang gozava de facto de imunidade" e se "o Presidente da República tinha de facto retirado a imunidade a Chang" à luz do artigo 211.º da Constituição de Moçambique de 2004.

O tribunal afirma que Beatriz Buchili respondeu explicando que "o artigo 211.º apenas se aplicava a membros do Governo no ativo e deste modo não se aplicava ao Sr. Chang", acrescentando que a explicação da PGR de Moçambique "pertinentemente não apresenta uma explicação sobre o levantamento da imunidade de ser processado judicialmente e, nesse sentido, também não consente expressamente a prisão do Sr. Chang".

"O que é que 'medidas de coação máxima' implicaria à luz da imunidade do Sr. Chang não é claro", salienta.

O Tribunal Superior de Gauteng indica ainda que "as respostas oblíquas" de Beatriz Buchili levaram Van Heerden a "acreditar erradamente que a imunidade de Chang de julgamento em Moçambique tinha sido retirada" e que "o ministro foi assegurado 'incorrectamente' de que as provisões do artigo 4.º do protocolo [da SADC] haviam sido cumpridas".

"O Sr. Van Heerden acabou por recomendar ao ministro que o Sr. Chang fosse extraditado para os Estados Unidos ao invés de Moçambique, com base na aptidão dos Estados Unidos para avançar com julgamento e por Moçambique se encontrar num estado de ausência de nível de preparação para julgar", salienta.

"Mais importante, é que a recomendação não aborda de todo a questão da imunidade uma vez que partiu da suposição de que o Sr. Chang não gozava de imunidade. O ministro não seguiu a recomendação e decidiu em 21 de maio extraditar o Sr. Chang para Moçambique em vez de para os Estados Unidos", referiu o Tribunal Superior de Gauteng, no passado dia 1 de novembro.

Manuel Chang encontra-se detido na África do Sul desde 29 de dezembro de 2018, a pedido da Justiça dos Estados Unidos, por fraude, corrupção e lavagem de dinheiro numa burla internacional de 2,2 mil milhões de dólares (cerca de dois mil milhões de euros), no chamado caso das dívidas ocultas.

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2022 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório