Meteorologia

  • 12 ABRIL 2021
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 22º

Edição

Moscovo reduz pena de ator russo condenado por agredir um polícia

Um tribunal russo comutou hoje a pena de prisão de um ator condenado por agredir um polícia para uma pena suspensa de um ano, num caso que desencadeou protestos públicos.

Moscovo reduz pena de ator russo condenado por agredir um polícia
Notícias ao Minuto

12:34 - 30/09/19 por Lusa

Mundo Moscovo

O tribunal da cidade de Moscovo decidiu que Pavel Ustinov deveria ser punido com uma pena suspensa de um ano em vez de três anos e meio de prisão.

Ustinov foi considerado culpado no início deste mês por resistir à detenção e agredir um polícia numa manifestação da oposição em julho.

O jovem ator russo declarou-se inocente, explicando que apenas estava à espera de um amigo no exterior de uma estação de metro.

Imagens do local mostram Ustinov a ser abordado por polícias, enquanto olhava para o seu telemóvel à margem da manifestação.

Um tribunal de instância inferior recusou-se a admitir esses vídeos como prova.

Dezenas de celebridades e artistas russos utilizaram as redes socais para expressar solidariedade com o ator Pavel Ustinov, que no início deste mês foi julgado e condenado a três anos e meio de prisão por agredir um polícia nas manifestações de 27 de julho.

Em 18 de setembro, mais de 100 pessoas, incluindo conhecidos atores de cinema e teatro, foram ao complexo do Governo do Kremlin no centro de Moscovo para protestar contra o veredicto no caso de Ustinov.

Os protestos eclodiram em Moscovo em julho, depois de as autoridades eleitorais se recusarem a permitir que uma dúzia de candidatos independentes e da oposição concorressem às legislativas da cidade de Moscovo em 08 de setembro.

Algumas das manifestações não foram autorizados pela polícia, e as autoridades mobilizaram uma força policial para dispersar as multidões.

No protesto de 27 de julho, a polícia de intervenção foi vista a bater e a deter manifestantes pacíficos.

Quase 1.400 pessoas foram detidas temporariamente.

Pouco depois das manifestações, dezenas de pessoas foram acusadas de agredir polícias e de provocar distúrbios.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório