Meteorologia

  • 19 AGOSTO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 19º

Edição

Libertado por ser velho demais para ser perigoso, comete novo homicídio

Albert Flick foi libertado em 2014 por ser demasiado velho para ser perigoso. Quatro anos depois voltou a cometer homicídio.

Libertado por ser velho demais para ser perigoso, comete novo homicídio

Um homem norte-americano condenado por homicídio, que foi libertado em 2014 por ser demasiado velho para estar preso, foi agora levado a julgamento por ter cometido o mesmo crime, avança a CNN.

Albert Flick, de 77 anos de idade, foi condenado a 25 anos de cadeia em 1979 por ter assassinado a sua mulher da altura, Sandra Flick, esfaqueando-a 14 vezes em frente à filha.

Acabaria por sair em liberdade condicional em 2004 mas voltou a ser detido em 2010 por ter agredido uma mulher. O juiz ignorou a recomendação para uma sentença mais pesada, indicando que Flick já não seria ameaça por causa da idade, não fazendo sentido mantê-lo preso.

"A dada altura, o sr. Flick vai perder a capacidade de manter esta conduta por causa da idade, e mantê-lo preso depois dessa altura não parece fazer sentido", justificou o magistrado.

Assim sendo, foi libertado de novo em 2014. Nessa altura mudou-se para Lewiston, uma cidade do estado norte-americano do Maine, e apaixonou-se por Dobbie, uma mulher sem-abrigo de 48 anos de idade.

Sem qualquer tipo de retorno amoroso por parte da mulher, Flick esfaqueou-a várias vezes no peito em plena luz do dia, em 2018. O crime, que ficou gravado nas câmaras de videovigilância do local, aconteceu em frente aos dois filhos da mulher, gémeos de 11 anos de idade.

Flick foi levado a tribunal na semana passada e foi considerado culpado do crime, enfrentando a sentença de prisão perpétua.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório