Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2018
Tempo
19º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Desfile na Coreia do Norte deixou de lado mísseis de longo alcance

A Coreia do Norte realizou hoje um desfile militar para assinalar o 70º aniversário da fundação do país, mas não apresentou mísseis balísticos intercontinentais, que estiveram na origem de várias sanções internacionais.

Desfile na Coreia do Norte deixou de lado mísseis de longo alcance
Notícias ao Minuto

06:16 - 09/09/18 por Lusa

Mundo Pyongyang

Soldados, artilharia e tanques integraram o desfile perante o líder norte-coreano Kim Jong-un no centro de Pyongyang, a capital do país, numa cerimónia em que apenas foram expostos mísseis de curto alcance, segundo a agência de notícias France-Presse.

O desfile militar, que durou cerca de uma hora e meia, foi o primeiro desde que Kim Jong-un e o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinaram em junho uma declaração conjunta em Singapura, prometendo trabalhar para a desnuclearização do regime de Pyongyang.

Kim não se dirigiu à multidão, numa cerimónia em que marcaram presença o chefe do parlamento chinês e delegações ao mais alto de países que mantêm relações diplomáticas próximas do regime norte-coreano.

O líder do parlamento da Coreia do Norte, Kim Yong-nam, deu o tom a uma retórica relativamente mais suave para o que foi sendo habitual em eventos anteriores, com um discurso de abertura que enfatizou os objetivos económicos do regime, em detrimento do seu poderio nuclear.

Os presidentes da China e da Rússia, Xi Jingping e Vladimir Putin, enviaram mensagens de felicitações ao líder norte-coreano Kim Jong-un, informou agência estatal de notícias KCNA.

Xi destacou a "política inabalável" do seu país para melhorar as relações com a Coreia do Norte, pode ler-se na mensagem publicada pela KCNA.

"O Partido [Comunista] e o Governo chinês dão a máxima prioridade às relações de amizade e cooperação entre a China e a República Popular Democrática da Coreia, e à sua política firme para defender, construir e desenvolver com sucesso relações bilaterais", referiu o Presidente chinês.

Já Vladimir Putin sublinhou na mensagem enviada a Kim a importância de aprofundar os laços e promover a paz na região.

O presidente russo disse estar convencido de que "o diálogo bilateral e a cooperação construtiva em várias áreas serão melhorados graças aos esforços conjuntos", o que contribuirá para fortalecer a estabilidade e a segurança na península coreana e no nordeste da Ásia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório