Meteorologia

  • 23 JUNHO 2018
Tempo
24º
MIN 24º MÁX 24º

Edição

Atentado de Manchester em 2017 lembrado com um minuto de silêncio

Manchester, Reino Unido, 22 mai (Lusa) - O atentado de Manchester de 2017, que provocou a morte de 22 pessoas e feriu outras 100, foi lembrado hoje com um minuto de silêncio em todo o Reino Unido e uma cerimónia oficial na catedral daquela cidade britânica.

Notícias ao Minuto

16:48 - 22/05/18 por Lusa

Mundo Reino Unido

A primeira-ministra, Theresa May, o líder trabalhista Jeremy Corbyn, o presidente da autarquia de Manchester, Andy Burnham, e o príncipe William assistiram a uma celebração na catedral de Manchester, que reuniu diversas confissões religiosas, ao lado de famílias das vítimas, de dezenas de feridos e de socorristas.

"Encontramo-nos aqui, pessoas de diferentes religiões ou nenhuma religião, para lembrar com amor e diante de Deus aqueles que perderam as vidas e aqueles cujas vidas foram mudadas para sempre e devem viver com lembranças terríveis" do ataque, disse o padre Rogers Govender.

No altar da catedral de Manchester, 22 velas foram colocadas em memória das vítimas, cujos retratos foram mostrados em telas.

A cerimónia foi transmitida em ecrã gigante, colocado do lado de fora do edifício, bem como em York, Liverpool e Glasgow (Escócia).

Depois das leituras de representantes de diferentes igrejas, Rogers Govender convidou a assembleia a observar um minuto de silêncio às 14:30 locais (mesma hora em Lisboa), hora respeitada em todo o Reino Unido e em todos os organismos oficiais, como a Câmara dos Comuns.

Após a cerimónia na catedral de Manchester, o príncipe William reuniu-se com famílias enlutadas.

Citada pelo jornal Manchester Evening News, Theresa May denunciou "um ato de covardia" que visava "jovens inocentes", num "ataque que visou atingir o coração" dos valores britânicos "para quebrar a determinação e dividir".

Em 22 de maio de 2017, Salman Abedi, um britânico de origem líbia de 22 anos, realizou um ataque suicida com explosivos no final de um concerto da cantora norte-americana Ariana Grande, no átrio da Manchester Arena.

A mais jovem entre as vítimas, Saffie Roussos, tinha oito anos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.