Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2018
Tempo
28º
MIN 28º MÁX 28º

Edição

Estudo sobre papel de proteína na doença cardiovascular vence prémio

Um estudo sobre o papel de uma proteína sanguínea no risco de doença cardiovascular valeu à investigadora e doutoranda Ana Filipa Guedes o Prémio Pulido Valente Ciência 2017, que será entregue na quinta-feira em Lisboa.

Estudo sobre papel de proteína na doença cardiovascular vence prémio
Notícias ao Minuto

13:52 - 24/02/18 por Lusa

Lifestyle Ciência

A proteína em causa é o fibrinogénio, que se 'liga' aos glóbulos vermelhos e é fundamental para a coagulação sanguínea.

Em 2016, Ana Filipa Guedes, a concluir o seu doutoramento no Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes, no laboratório liderado pelo investigador Nuno Santos, verificou, a partir de amostras de sangue, que doentes com insuficiência cardíaca apresentam um risco acrescido de sofrer complicações cardiovasculares porque é necessária uma 'força' maior para 'descolar' a tal proteína que se agrega aos glóbulos vermelhos.

Na altura, os cientistas isolaram os glóbulos vermelhos e usaram um microscópio de força atómica para medir a 'força' de ligação do fibrinogénio a estas células, também conhecidas como eritrócitos.

Num estudo posterior, de 2017, observaram com doentes hipertensos que a interação entre a proteína e os glóbulos vermelhos era idêntica.

Ana Filipa Guedes esclareceu à Lusa que "níveis elevados de fibrinogénio" nestes doentes, cuja hipertensão não tem uma causa direta associada, podem levar à formação de coágulos sanguíneos, bloqueando uma artéria ou veia.

A equipa científica quer perceber, em próximos estudos, se o mesmo tipo de interação entre esta proteína e os glóbulos vermelhos é extensível a mais doenças cardiovasculares e de que forma pode interferir nela com um possível medicamento.

Por outro lado, a avaliação da presença de fibrinogénio (enquanto novo biomarcador de doenças cardiovasculares) no sangue poderá ajudar a "definir melhor o prognóstico destes doentes", de acordo com Ana Filipa Guedes.

O Prémio Pulido Valente Ciência, no valor de dez mil euros, distingue anualmente o melhor artigo publicado na área das ciências biomédicas que descreva os resultados de uma investigação com participação de uma cientista com menos de 35 anos a trabalhar num laboratório português.

O montante do prémio é comparticipado pela Fundação Professor Francisco Pulido Valente e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.

A edição de 2017 foi dedicada às doenças cardiovasculares.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório