Meteorologia

  • 16 JANEIRO 2021
Tempo
MIN 4º MÁX 14º

Edição

Coronavírus: As características físicas que aumentam o risco de infeção

Um novo estudo realizado nos Estados Unidos, destaca que traços físicos como a dentição completa ou o nariz entupido podem elevar a quantidade de disseminação de gotículas infetadas com o novo coronavírus SARS-CoV-2, por trás da doença da Covid-19.

Coronavírus: As características físicas que aumentam o risco de infeção
Notícias ao Minuto

09:32 - 24/11/20 por Notícias ao Minuto  

Lifestyle Contágio

Investigadores da Universidade da Florida Central (UCF) identificaram características fisiológicas com o potencial de tornar determinados indivíduos mais prováveis de espalhar vírus, incluindo o SARS-CoV-2, avança um artigo publicado na revista Galileu.

No novo estudo divulgado na revista científica Physics of Fluids, investigadores do Departamento de Engenharia Mecânica e Aeroespacial da UCF utilizaram modelos gerados por computador de modo a simular espirros em vários tipos de pessoas e assim apurar possíveis associações entre as suas características naturais e a distância que as gotas de espirro expelidas por elas viajam e pairam na atmosfera. 

Durante a experiência, a Galileu explicou, que os académicos detetaram que as características de algumas pessoas, nomeadamente um nariz entupido ou a dentição completa, podem potencializar a disseminação de vírus, na medida em que afetam a distância a que as gotículas viajam quando espirram.

Segundo informações divulgadas pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, o principal meio de propagação do coronavírus dá-se através da exposição a gotículas respiratórias expelidas por indivíduos infetados, sobretudo ao tossir ou espirrar.

“Este é o primeiro estudo que visa compreender o 'porquê' da distância percorrida pelos espirros”, conta Michael Kinzel, co-autor do estudo e professor assistente do Departamento de Engenharia Mecânica

"Mostramos que o corpo humano tem influenciadores, como um complexo sistema de dutos associado ao fluxo nasal que, na verdade, interrompe o jato de sua boca e impede que ele se espalhe por longas distâncias", acrescenta. 

Também os dentes restringem a área de saída do espirro e fazem com que as gotas aumentem de velocidade.

Kinzel refere: "os dentes criam um efeito de estreitamento no jato que o torna mais forte e turbulento".

"Realmente parecem conduzir a transmissão. Então, se vir alguém sem dentes, pode esperar um jato mais fraco ao espirrarem", conclui. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório