Meteorologia

  • 12 DEZEMBRO 2019
Tempo
15º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Pare com estes dois hábitos: Estudo explica como reduzir afrontamentos

De acordo com uma nova investigação, controlar o peso e deixar de fumar antes dos 40 pode aliviar, significativamente, os afrontamentos que caracterizam a menopausa.

Pare com estes dois hábitos: Estudo explica como reduzir afrontamentos

As alterações fisiológicas da menopausa podem trazer desconforto. Os afrontamentos são, regra geral, a consequência mais comum desta fase da vida.

Hsin-Fang Chung, da Escola de Saúde Pública da Universidade de Queensland em St. Lucia, Austrália, é o autor principal de um novo artigo científico, publicado no American Journal of Obstetrics and Gynecology, que sugere que parar de fumar e manter um peso saudável pode ajudar a diminuir o mal-estar associado à menopausa.

Para chegar a esta conclusão, Chung e a sua equipa analisaram os dados de oito estudos, totalizando 21460 mil mulheres com um média de 50 anos. As participantes eram da Austrália, Reino Unido, Estados Unidos e Japão.

A investigação analisou as associações entre o índice de massa corporal (IMC) e o tabagismo, por um lado, e o risco de sintomas vasomotores da menopausa, por outro. A análise também procurou verificar se as associações diferiam, de acordo com o estágio da menopausa.

No início do estudo, quase 60% das mulheres apresentavam sintomas vasomotores, como afrontamentos ou suores noturnos. Metade dessas participantes estava acima do peso, incluindo 21% delas com obesidade e 17% eram fumadoras durante o período do estudo.

No geral, a análise constatou que um IMC mais alto e hábitos de tabagismo prolongados estavam ligados a sintomas vasomotores mais frequentes ou graves.

Mais especificamente, "as mulheres obesas têm um risco quase 60% maior de sentir sintomas vasomotores frequentes ou graves, em comparação com as mulheres com peso normal" e as mulheres fumadoras "têm um risco 80% maior de ter sintomas vasomotores frequentes ou graves, em comparação com as mulheres que nunca fumaram", relata Chung citado pelo Medical News Today.

Por fim, escrevem os investigadores, a análise constatou que os resultados diferiam de acordo com o estágio da menopausa. Mais concretamente, "um maior IMC foi associado ao aumento do risco de sintomas vasomotores na pré e perimenopausa, mas com risco reduzido na pós-menopausa", diz o estudo.

A acrescentar, o estudo revela que o tabagismo intensifica o efeito da obesidade e dá às mulheres obesas que fumam mais de três vezes o risco de sofrer de sintomas vasomotores frequentes ou graves, em comparação com mulheres com peso normal que nunca fumaram.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório