Meteorologia

  • 15 DEZEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Crianças com pé chato: Apenas estético ou tem impacto na saúde?

'Sr. Dr. O meu filho tem os pés chatos?' Manuel Cassiano Neves, ortopedista diferenciado em Ortopedia da Criança e do Adolescente no Hospital CUF Descobertas e no Hospital CUF Infante Santo, partilhou com o Lifestyle ao Minuto num artigo de opinião tudo o que tem de saber sobre este problema de saúde.

Crianças com pé chato: Apenas estético ou tem impacto na saúde?
Notícias ao Minuto

08:00 - 20/10/19 por Notícias Ao Minuto 

Lifestyle Médico explica a condição

Pé 'chato', ou pé plano, é um formato especifico dos pés, que se apresentam com uma diminuição do arco plantar, determinando, assim que, ao ficar em pé, a planta do pé toque o chão por inteiro. A maior parte dos bebés apresentam pés planos, pois o arco ainda não se desenvolveu e também pelo facto dos pés terem uma maior quantidade de gordura, dando a impressão de aplanamento. Com o crescimento, normalmente observa-se a mudança da forma dos pés, mas, às vezes, persiste até a idade adulta.

'Sr. Dr. O meu filho tem os pés chatos?'

Esta é uma questão frequente nas consultas de ortopedia infantil e que traduz a preocupação de muitos Pais. São as avós a chamar a atenção 'olha que o teu filho entorta os pés... tens de o levar ao ortopedista', são gerações que cresceram com botas ortopédicas nos pés... e que ficaram com os pés direitos! Por isso, as botas devem funcionar? São estas dúvidas que fazem com que as deformidades dos pés sejam um dos maiores motivos de consulta de ortopedia infantil.

O conceito do 'pé chato'

Considera-se que um pé é 'chato' (pé plano) quando o bordo interno do pé toca o chão e não se nota qualquer cova no aldo interno. Esta deformidade é acompanhada de um desvio do calcanhar para fora e por uma rotação de todo o pé para dentro..

Quando as crianças começam a andar é frequente terem o pé chato. Isto deve-se ao fato da gordura plantar ser muito proeminente, das crianças serem muito flexíveis e se deformarem com facilidade (a criança é de borracha...) e por os músculos ainda estarem pouco desenvolvidos...

Por isso cerca de 70% das crianças apresentam pés chatos aos 2 anos de idade. O que sabemos hoje em dia é que estes pés vão-se endireitar naturalmente sem qualquer tratamento até aos 8 anos. Estima-se que 20% dos adultos tenham alguma forma de pé chato.

Sendo a incidência tão alta serão os 'pés chatos' uma variação do normal ou um problema?

Felizmente cerca de 95% das pessoas com pé chato fazem uma vida normal sem qualquer sintoma na idade adulta. O paradigma desta situação é representado pelo corredor de fundo Checo Emil Zatopek, que no ano de 1952 nos jogos Olímpicos de Verão, conquistou as medalhas de ouro nos 5, 10.000 e maratona no espaço de 10 dias, e tinha os pés mais chatos que se possa imaginar!

Por isso na grande maioria dos casos a deformidade é mais estética do que funcional, o que levanta a dúvida se devemos tratar esta deformidade, que passará sempre por uma cirurgia (o uso de botas ou plantares não tem qualquer efeito na forma como o pé se desenvolve, apenas pode melhorar o desconforto).

Serão os pés chatos responsáveis por dores nos joelhos e na coluna na idade adulta?

Esta é uma questão muito frequente na consulta, pois existe uma ideia generalizada de que a deformidade será responsável na idade adulta por dores no joelho e nas costas. Se sob o ponto de vista mecânico este conceito parece fazer sentido, não existe até ao momento qualquer evidência de que seja verdadeiro. Na grande maioria dos pés chatos a deformidade resulta de um desequilíbrio muscular / ligamentar que se refletem também nos joelhos e coluna. Por isso as dores no joelho ou coluna serão secundárias ás alterações musculo-ligamentares e não á deformidade.

Então os 'pés chatos' não precisam de ser tratados?

Na grande maioria dos casos isto é verdade... todavia existem exceções e é preciso estar alertado para elas. A dor será sempre um sinal de alarme!

Por exemplo um bebé pode nascer com um pé chato. Neste caso a planta do pé será convexa como os mata-borrões antigos e resulta do fato de um dos ossos (o escafoide) estar fora do lugar (luxado) sobre o astrágalo. Este pé é rígido e na idade adulta pode tornar-se doloroso obrigando a cirurgias complexas e dolorosas. É por isso fundamental o seu diagnóstico precoce.

Noutras situações pode haver uma alteração do desenvolvimento que se caracteriza por um transtorno na formação dos ossos do pé, e que faz com que dois ossos possam ficar colados. Neste caso o pé é plano e torna-se rígido e doloroso com o crescimento, tornando-se mais notório na fase final do crescimento.

Também durante o crescimento, e resultante do esforço sobre o bordo interno do pé, as crianças podem desenvolver um quadro de dor no lado de dentro do pé por maior tensão sobre os tendões, necessitando da atenção do ortopedista.

Noutros casos ainda, os pés são chatos e não provocam qualquer dor mas podem ser responsáveis por um joanete (deformidade do primeiro dedo do pé) e o seu tratamento pode impedir ou mesmo melhorar a deformidade do dedo grande tão comum nos adultos e em particular nas mulheres.

Também as doenças reumáticas (sim as crianças também sofrem do reumático...) se podem manifestar ao nível do pé e em particular por um pé chato. Neste caso alem da deformidade também se nota um inchaço e calor...

Estas são as situações raras que representam 5% dos pés chatos, mas que têm um impacto grande na saúde das crianças e obrigam a um tratamento. É importante por isso saber diferenciar os problemas estéticos das situações que têm impacto na saúde.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório