Meteorologia

  • 23 ABRIL 2019
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 13º

Edição

A ciência explica: Cinco motivos por que fazemos sexo

Entenda como a teoria da evolução explica a vida sexual dos seres humanos.

A ciência explica: Cinco motivos por que fazemos sexo
Notícias ao Minuto

22:00 - 19/03/19 por Notícias Ao Minuto 

Lifestyle Noites quentes

De acordo com a ciência, e segundo a reportagem divulgada pela revista Galileu, gemidos, beijos e até o formato dos seios de uma mulher são ferramentas que permitiram a evolução da raça humana.

Entenda por que o sexo ajuda-nos a continuar a espécie, de uma forma muito além da óbvia: 

1. Os beijos funcionam como proteção contra vírus 

Segundo uma pesquisa realizada na Universidade de Leeds, no Reino Unido, as mulheres passaram a beijar para se exporem aos vírus da família do herpes.  Se a mulher desenvolve essa doença enquanto está grávida, pode perder o bebé. Mas, se for exposta ao vírus em pequenas doses nos meses que antecedem a gestação, a infeção não será tão nociva – servindo essa exposição como uma vacina.

2. Mulheres têm seios maiores para compensar o rosto mais achatado

Sabia que a mulher humana é a única fémea do reino animal que não tem seios ‘evidentes’ apenas quando estão a amamentar? Outras fémeas ficam com os seios aparentes só quando estão em período de lactação. E a ciência explica o motivo: outros bichos tem a mandíbula mais "para a frente" do que o resto da face, ao contrário dos humanos. Logo, se os seios não fossem tão “avantajados”, os bebés não conseguiriam mamar.

3. Gemidos são um convite ao sexo em grupo

Segundo a ciência, os gemidos de uma mulher durante o sexo não têm nada a ver com orgasmos. Ao analisarem bonobos, cientistas perceberam que as fêmeas também gritam e produzem ruídos enquanto fazem sexo – mas que esses barulhos servem apenas para chamar a atenção de outros machos que possam estar à escuta. Como esses primatas são um dos nossos parentes mais próximos no reino animal, os investigadores acreditam que a comparação é válida. 

4. O sexo serve para combater doenças 

Quando o óvulo e o espermatozoide se encontram, o material genético dos pais do futuro bebé mistura-se, fazendo com que a criança tenha mais defesas contra doenças. Animais que não têm um mecanismo parecido não apresentam diversidade genética, o que os torna em alvos mais fáceis para vírus e bactérias. 

5. O orgasmo feminino é um acidente 

O orgasmo masculino faz sentido, já que causa a ejaculação, necessária para que o espermatozoide chegue ao óvulo e ocorra a fecundação. Mas por que as mulheres têm orgasmos se não necessitam deles para se reproduzirem?  Primeiro é importante lembrar que existem dois tipos de orgasmo feminino: o clitoriano e o vaginal. E o clitoriano é o mais comum, responsável por cerca de 80% dos orgasmos. Mas se o prazer feminino não é necessário para a procriação, por que as mulheres têm clitóris?  Segundo investigadores, o clitóris existe pelo mesmo motivo que os mamilos aparecem nos homens: ‘sobras’ evolutivas. Antes que o sexo do feto seja desenvolvido ainda dentro do útero, os bebés formam as mesmas estruturas, principalmente os nervos. Depois de um certo tempo, as mudanças que definem o sexo do bebé começam e o desenvolvimento ou dos seios ou do pénis é interrompido.  Simplificando, o clitóris seria um pénis que não se desenvolveu, mas que tem terminações nervosas que, como o órgão masculino, podem causar prazer e são programadas para fazer o indivíduo chegar ao orgasmo. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório