Meteorologia

  • 23 MAIO 2019
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 22º

Edição

Luta contra a SIDA. Oito mitos sobre o VIH que foram derrubados

Infeções provocadas pelo vírus VIH constituem um grave problema para a saúde a nível global, já que, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), 35 milhões de pessoas já morreram por causa da doença. No ano passado, registaram-se quase 1 milhão de mortes relacionadas com o VIH em todo o mundo.

Luta contra a SIDA. Oito mitos sobre o VIH que foram derrubados
Notícias ao Minuto

15:30 - 03/12/18 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Doença

Atualmente, e de acordo com uma reportagem divulgada pela BBC News, existem cerca de 37 milhões de pessoas que vivem com o vírus, sendo 70% delas em África. Do total, 1,8 milhão foram infetados em 2017.

Desde o primeiro ciclo de expansão da SIDA, na década de 1980, surgiram inúmeros mitos que alimentaram o preconceito e o estigma sobre o que significa ser contaminado e viver com o VIH.

Tendo como base o Dia Mundial de Luta Contra a SIDA, que se celebrou no passado dia 1 dezembro, a BBC convida a desmistificar alguns mitos que se criaram em torno desta doença:

1º Mito: É possível contrair o vírus ao estar perto de pessoas com VIH

Essa informação falsa tem fomentado a discriminação contra pessoas seropositivas.

Não é possível que ser contaminado ao:

- Respirar no mesmo ambiente;

- Abraçar, beijar ou apertar as mãos;

- Dividir alimentos;

- Compartilhar uma fonte de água potável;

- Usar equipamentos comuns no ginásio;

- Tocar num assento de vaso sanitário ou numa maçaneta.

O VIH é transmitido por meio da troca de fluidos corporais com indivíduos infetados, como sangue, sémen, fluido vaginal e leite materno.

2º Mito: Terapias alternativas podem curar a SIDA

Nada verdadeiro. Terapias alternativas, tomar banho depois do sexo ou ter relações sexuais com uma virgem - elementos que aparecem no universo da desinformação a respeito do tema - não surtem efeito contra o VIH.

3º Mito: Mosquitos podem espalhar o VIH

Embora o vírus seja transmitido por meio do sangue, diversos estudos mostram que não pode ser contraído através de picadas de insetos que se alimentam do sangue humano.

4º Mito: Não se contrai o VIH via sexo oral

É verdade que os riscos de infeção por meio do sexo oral são menores do que em outras modalidades. A taxa de transmissão é inferior a quatro casos em 10 mil atos sexuais.

Mas pode contrair o vírus ao realizar sexo oral com um homem ou uma mulher que seja VIH positivo - e é por isso que os profissionais de saúde recomendam sempre o uso de preservativo.

5º Mito: Não serei contaminado se usar preservativo

Se se rasgarem, os preservativos podem falhar em evitar a exposição, também se escorregarem ou vazarem durante o ato sexual.

6º Mito: Sem sintomas, sem VIH

Um indivíduo pode viver 10 ou 15 anos com o VIH e não apresentar sintomas. Após a infeção inicial, os seropositivos podem também experienciar situações semelhantes a gripes, com febre, dores de cabeça ou de garganta, não identificando o motivo real para estas manifestações fisiológicas.

Outros sintomas podem surgir ainda à medida que a infeção ataca progressivamente o sistema imunológico: inchaço nos gânglios linfáticos, perda de peso, febre, diarreia e tosse.

7º Mito: Pessoas com VIH morrerão jovens

Pessoas ficam a saber que são seropositivas e que aderem precocemente ao tratamento vivem cada vez mais anos e de forma saudável.

8º Mito: Mães com VIH irão sempre infetar os filhos

Não necessariamente. Mães com vírus suprimido podem ter bebés sem transmiti-lo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório