Meteorologia

  • 20 NOVEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Desinfetantes de mãos de nada servem se não tiver isto em conta

Água e sabão deve ser sempre a opção preferida. Tudo o resto são alternativas

Desinfetantes de mãos de nada servem se não tiver isto em conta
Notícias ao Minuto

09:30 - 18/10/18 por Mariana Botelho 

Lifestyle Higiene

Foi durante o surto global da gripe A, que aconteceu em 2009, que grande parte da população passou a estar mais atenta à necessidade de se proteger de possíveis infeções a que ninguém está imune de infeção no próprio dia a dia.

Nesta altura, os desinfetantes de mãos passaram a estar presente não só em escolas e hospitais mas muitos outros locais – inclusive na mala de muitos que garantiam assim uma maior proteção contra alguns tipos de contágio, já que as mãos são a zona do corpo mais exposta a bactérias de que não podemos evitar (desde as barras a que se segura dentro do autocarro ao teclado com que trabalha no seu escritório).

Esta é de facto uma medida aconselhada que não se limita ao referido surto mas deve ser seguida a qualquer altura do ano, principalmente nos maiores onde a probabilidade de gripes e contágio é maior.

Mas apesar desta ‘arma’ de prevenção, estes géis à base de álcool nem sempre são tão eficazes como se vendem, embora muitos o tomem como garantidos. Em mãos muito sujas, por exemplo, o gel desinfetante não terá qualquer efeito, pelo contrário, irá apenas ‘espalhar’ a sujidade. O seu objetivo é pois, apenas, o de desinfetar, função que é conseguida por produtos com uma percentagem igual ou superior a 60%, um número que deve ter em conta na hora de comprar tal produto. Idealmente, procure um gel que, além de tal percentagem, conta com aloe vera na sua composição, apontam os especialistas, que justificam esta necessidade pelo efeito de secura extrema com que conta o álcool, que deve ser contrariado com algum tipo de hidratação.

Por fim, não exagere. O gel desinfetante deve sim ser utilizado, contudo, quando e exagero pode levar a que o corpo perca bactérias em extremo, perdendo a sua capacidade de proteção. Dito isto, água e sabão devem ser sempre preferidos ao produto referido, que surge apenas como alternativa quando não há nenhum lavatório por perto.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório