Meteorologia

  • 29 MARçO 2020
Tempo
17º
MIN 9º MÁX 19º

Edição

Dezenas de empresas comprometem-se pela igualdade de género no local de trabalho

Mais de duas dezenas de empresas, desde transportadoras, instituições bancárias, tecnológicas ou consultoras, entre privadas e públicas, concordaram em implementar cerca de 90 medidas pela igualdade de género no local de trabalho, uma iniciativa inédita em Portugal.

Dezenas de empresas comprometem-se pela igualdade de género no local de trabalho
Notícias ao Minuto

14:35 - 15/02/13 por Lusa

Economia Iniciativa

A acção é apoiada pela Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE) e a formalização pública decorre na próxima segunda-feira, dia 18.

Em declarações à Lusa, fonte da CITE disse que na lista constam as seguintes 21 empresas nacionais: Porto de Leixões, Porto de Sines, Porto de Setúbal e Sesimbra, Auchan Portugal, Baia do Tejo, BES, Santander Totta, Carris, CTT, EDP, Gebalis, Grupo CHConsulting, IBM Portugal, Imprensa Nacional -- Casa da Moeda, Microsoft, Nestlé Portugal, Peugeot Citroën Automóveis Mangualde, Portugal Telecom, RTP, Visteon Portugal e Xerox Portugal.

"Para nós, este é um dos momentos altos dos últimos anos de trabalho da CITE nesta sua missão pela promoção da igualdade entre homens e mulheres no local de trabalho porque de facto estamos perante um compromisso inédito em Portugal, em que são as próprias empresas que se juntam e decidem comprometer-se voluntariamente", apontou a presidente da CITE, Sandra Ribeiro.

No total, são cerca de 90 medidas, mas a ideia não é que cada empresa as implemente todas, mas antes ponha em prática aquelas que entender serem mais necessárias para melhorar os seus indicadores em matéria de igualdade no local de trabalho.

Durante cerca de um ano cada empresa fez esse trabalho de análise e diagnóstico interno do que poderia ser melhorado e de levantamento das lacunas.

As quase uma centena de medidas dividem-se pelas áreas de missão e valores da empresa, onde se tenta incorporar a igualdade de género como transversal às políticas da empresa; recrutamento e selecção de pessoal; formação, remuneração e gestão de carreira; diálogo social; informação, comunicação e imagem; e conciliação e de protecção na parentalidade.

"É a assunção de um compromisso de uma forma voluntária por um conjunto de empresas que decidiram que a igualdade de género é importante para a competitividade das suas empresas, que a igualdade de género pode ser uma ferramenta até para ajudar a sair da crise e para tornar as suas empresas mais resilientes", apontou Sandra Ribeiro.

A responsável espera, por isso, que esta acção acabe por ter um efeito de rastilho e contagie outras empresas a seguir o mesmo caminho, uma vez que se trata de um ato voluntário por parte das 21 empresas que agora participam.

Dados da Comissão Europeia, de Outubro de 2012, davam conta que em Portugal existe apenas 6% de mulheres a ocuparem lugares nos conselhos de administração das empresas incluídas no PSI20, um número bastante abaixo da média europeia, que ronda os 13,7%. Olhando para os lugares de presidente executivo e não executivo, a percentagem desce para 0%.

De acordo com a Comissão Europeia, as mulheres portuguesas representam 5,4% nos lugares de directores não executivos e 7,6% nos lugares de directores executivos no conjunto das maiores empresas nacionais cotadas em bolsa, para lá das do PSI20.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório