Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

"Futuro grupo, se existir, dificilmente será Espírito Santo"

O antigo assessor económico de Cavaco Silva, João César das Neves, escreve esta segunda-feira no Diário de Notícias sobre a queda do Grupo Espírito Santo (GES), comparando-a com a queda política do mesmo em 1975 e sublinhando o poder de um ?valor abstrato? como ?o prestígio e a credibilidade?.

"Futuro grupo, se existir, dificilmente será Espírito Santo"

João César das Neves dedica a sua coluna desta segunda-feira no Diário de Notícias ao colapso do Grupo Espírito Santo (GES), relembrando a queda política do grupo em 1975 e a sua ressurreição 11 anos depois. Mas sublinhando uma diferença.

“Nos anos setenta a família, apesar de expropriada, reteve algo decisivo, o prestígio e a credibilidade, aliás pivot da futura recuperação. A longa tradição banqueira (…) permitiu manter contactos e fazer parcerias. Assim sobreviveu ao exílio e, a partir de 1986, começou a recuperação do que seria um lugar central na economia portuguesa”, começa por explicar o colunista.

O antigo assessor económico de Cavaco Silva sublinha, no entanto, que a tradição e o bom nome da família é precisamente o “valor abstrato que está agora em xeque”.

“A queda, desta vez, não se deveu à agressão política mas à falha de competência e carácter. A cadeia será mais pesada. O Grupo até pode ressurgir; não o nome. Essa marca pessoal está indelevelmente ligada ao maior escândalo financeiro português”, ratifica.

O economista adianta, ainda, que “o futuro grupo, se existir, dificilmente será Espírito Santo”.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório