Meteorologia

  • 22 MAIO 2024
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 22º

BCE não mexe nas taxas, mas deixa pistas e prepara terreno: O que vem aí?

Banco Central Europeu começou a preparar terreno para uma possível descida em junho se a inflação continuar a sua dinâmica de descida.

BCE não mexe nas taxas, mas deixa pistas e prepara terreno: O que vem aí?
Notícias ao Minuto

07:36 - 12/04/24 por Notícias ao Minuto com Lusa

Economia Zona Euro

O Banco Central Europeu (BCE) deixou, na quinta-feira, as taxas de juro inalteradas pela quinta vez consecutiva, mas começou a preparar terreno para uma possível descida em junho se a inflação continuar a sua dinâmica de descida.

Assim, a taxa de juro aplicável às principais operações de refinanciamento mantém-se em 4,5% e as taxas de juro aplicáveis à facilidade permanente de cedência de liquidez e à facilidade permanente de depósito ficam em 4,75% e 4,00%, respetivamente.

BCE moderou discurso... o que vem aí?

Apesar de manter as taxas de juro nos níveis atuais, o discurso do banco central mudou e a instituição mostra-se aberta a reduzir o atual nível restritivo da sua política monetária se a inflação continuar a cair, depois de ter baixado duas décimas em março, para 2,4%.

"Se a avaliação atualizada das perspetivas de inflação, da dinâmica da inflação subjacente e da força da transmissão da política monetária reforçar a confiança do Conselho do BCE de que a inflação está a convergir para o objetivo de forma sustentada, seria apropriado reduzir o atual nível de restritividade da política monetária", refere o comunicado divulgado no final da reunião.

Em conferência de imprensa, a líder do BCE, Christine Lagarde, insistiu que em junho haverá "mais informação e mais dados", além de novas projeções económicas, o que pode levar a uma mudança de rumo na política monetária.

Lagarde reiterou que as decisões do BCE vão continuar a depender dos dados e serão tomadas reunião a reunião, não se comprometendo "antecipadamente com uma trajetória de taxas concretas".

Decisão de manter taxas não foi unânime. "Alguns" queriam cortá-las

A presidente do BCE afirmou que a decisão da instituição de deixar as taxas de juro inalteradas não foi unânime e alguns membros estavam suficientemente confiantes para baixá-las.

"Alguns membros (...) sentiam-se suficientemente confiantes com base nos dados limitados que recebemos em abril. Eram apenas alguns e concordaram em unir-se ao consenso de uma maioria muito ampla dos governadores que se sentiam cómodos com a necessidade de reforçar a confiança quando recebermos mais dados em junho", explicou Lagarde.

Lagarde tentou distanciar-se da Fed

A presidente do BCE também tentou distanciar-se da Reserva Federal (Fed) norte-americana, ao assegurar que o BCE depende de dados para definir a sua política monetária e não do que o banco central norte-americano faz, apesar de considerar importante o que ocorre nos outros países.

As declarações da presidente do BCE foram feitas depois de ter sido anunciado na quarta-feira que a inflação acelerou em março nos Estados Unidos, o que pode comprometer uma descida das taxas de juro da Fed que era esperada para junho.

A presidente do BCE disse ainda que a origem da inflação nos Estados Unidos e na zona euro foi diferente, o mesmo sucedendo com a resposta política ou a dinâmica dos consumidores, pelo que as medidas têm sido diferentes.

Neste sentido, Lagarde recusou especular sobre as possíveis decisões de política monetária que possam ser adotadas pela Fed depois de ter sido confirmado que a inflação nos Estados Unidos subiu três décimas em março, para 3,5%.

No caso da zona euro, o BCE espera que a inflação tenha a sua evolução "em torno dos níveis atuais nos próximos meses", o que significa que a sua queda não será linear, mas diminuirá até atingir a meta de 2% no próximo ano.

Leia Também: Lagarde diz que BCE depende de dados europeus e não da Fed

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório