Meteorologia

  • 10 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 26º

SAS inicia processo de falência nos EUA para reestruturar a companhia

A companhia aérea escandinava SAS, em dificuldades financeiras, anunciou hoje ter dado início a um pedido de falência nos Estados Unidos, no quadro de um plano económico em curso.

SAS inicia processo de falência nos EUA para reestruturar a companhia
Notícias ao Minuto

08:54 - 05/07/22 por Lusa

Economia SAS

A medida foi anunciada pela empresa um dia após o começo de uma greve por tempo indeterminado decretada pelo principal sindicato de pilotos da Escandinávia. 

"Além dos efeitos da greve, as atividades e os planos de voo da SAS não vão ser afetados por esta medida [pedido de falência nos Estados Unidos] e a SAS vai continuar a servir normalmente os clientes", disse a empresa detida maioritariamente pelos Estados sueco, norueguês e dinamarquês. 

Nos Estados Unidos, o recurso ao "capítulo 11" é dispositivo legal que permite que uma empresa deixe de pagar a dívida incentivando um processo de reestruturação "protegido" dos credores e mantendo as operações em curso. 

A SAS conta utilizar o procedimento durante um período de "nove a 12 meses", disse hoje o diretor-geral da empresa, Anko van der Werff, durante uma conferência de imprensa. 

Uma das vantagens na escolha de proteção nos Estados Unidos, ao contrário do que ocorre em outros países como a Suécia [onde se encontra a sede da empresa] é a manutenção da propriedade dos aviões, explicou o diretor-geral da SAS. 

De acordo com a empresa, o "capítulo 11" norte-americano "visa acelerar a transformação da SAS, implementando os 'elementos chave' do plano de economia contínuo (SAS Forward)". 

"Nós temos que fazer muito mais e mais depressa", disse o presidente do conselho de administração da SAS, Carsten Dilling, acrescentando que se trata de uma decisão "bem ponderada" face a uma "estrutura de custos" muito elevada da empresa.

Fragilizada pelos efeitos da pandemia de covid-19 e pelas perdas recorrentes, a SAS anunciou em fevereiro o plano de poupança de cerca de 750 milhões de euros por ano, reforçado em junho por um plano de aumento capital de mil milhões de euros. 

A Dinamarca, que como a Suécia detém 21,8% do capital da companhia, disse estar pronta para assumir uma participação.

A Suécia e a Noruega concordaram transformar os créditos em capital.

Leia Também: Avaria da TAAG deixou 114 pessoas em terra, mas regressaram hoje a Luanda

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório