Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 32º

'Capital do Móvel' regressa a Lisboa na próxima semana com 40 empresas

Cerca de 40 empresas de mobiliário expõem, de quarta-feira até 10 de julho, em Lisboa, as novidades do mobiliário e decoração portugueses na 57.ª edição da 'Capital do Móvel', que se realiza pela segunda vez na capital.

'Capital do Móvel' regressa a Lisboa na próxima semana com 40 empresas
Notícias ao Minuto

10:49 - 02/07/22 por Lusa

Economia Mobiliário

"A 'Capital do Móvel' esteve a primeira vez em Lisboa no ano passado e, apesar da pandemia, recebemos milhares de visitantes. Por isso, queremos continuar a levar o evento à capital portuguesa e, dessa forma, divulgar o trabalho das nossas empresas", explicou a diretora-geral executiva da Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF), que organiza o evento, em declarações à agência Lusa.

Após os cerca de 5.000 visitantes recebidos na última edição, a expectativa este ano é superar este número e atrair ao Pavilhão Carlos Lopes, "pelo menos, entre 6.000 a 7.000" pessoas, avançou Filipa Belo.

Segundo a responsável, a aposta este ano passa por um programa diversificado e focado nas tendências do mercado, como é o caso da sustentabilidade: "O setor tem acompanhado as preocupações dos consumidores em relação ao meio ambiente e, por isso, consideramos importante discutir esta problemática", disse.

Assim, além da exposição de mobiliário e decoração, os visitantes terão ainda a oportunidade de assistir, pelas 18:00 de quinta-feira, a uma 'talk' com a arquiteta Teresa Pires Gonçalves (do atelier Decôme Lisbon) sob o tema 'Casa Saudável - Interiores Sustentáveis'.

Em entrevista à Lusa, a diretora geral executiva da AEPF afirmou que o setor do mobiliário "surpreendeu bastante, pela positiva", ao "não refletir assim de uma forma tão bruta" o impacto da pandemia.

"Ao contrário daquilo que seriam as expectativas, a pandemia acabou por não se refletir assim de uma forma tão bruta", disse, avançando que os dados do primeiro trimestre de 2021 apontam já para uma subida de 4% das exportações face ao período homólogo de 2019, pré-pandémico, para perto de 500 milhões de euros.

Ainda assim, o impacto da pandemia fez-se sentir no setor, cujas vendas para o exterior recuaram de 2.500 milhões de euros em 2019 para 1.500 milhões de euros em 2020 e 1.700 milhões de euros em 2021.

Atualmente, Filipa Belo destaca "os constrangimentos ao nível das matérias-primas e dos transportes" como os fatores que mais estão a "influenciar negativamente" o setor, sobretudo desde o início da guerra na Ucrânia.

"Algumas matérias-primas vinham daquela zona, como a placa de madeira e alguma madeira específica, que vinha da Rússia, e algumas empresas que tinham contratos preestabelecidos estão com receio em avançar, porque não sabem até que ponto vão receber as matérias-primas", explicou.

Por outro lado, disse, a forte e constante subida do preço das matérias-primas está a condicionar a realização de orçamentos: "Um orçamento feito hoje se calhar já não é o mesmo daqui a um ou dois meses", notou.

Com cerca de 90% da produção destinada aos mercados externos, o mobiliário português manteve no primeiro trimestre deste ano um saldo da balança comercial positivo, nos 215 milhões de euros, com uma taxa de cobertura das importações pelas exportações de 180%.

França continua a ser o maior cliente do mobiliário fabricado em Portugal, absorvendo cerca de 35% das exportações, seguindo-se Espanha e os Estados Unidos da América (que respondem, juntos, por cerca de 30%), do Reino Unido (19%) e da Alemanha (10%).

O setor é constituído por cerca de 4.000 empresas que empregam mais de 34.000 trabalhadores, estando presente em 160 mercados internacionais.

Leia Também: Aeroporto: "Gostaríamos de ver uma decisão e apoiaremos qualquer decisão"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório