Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2022
Tempo
31º
MIN 17º MÁX 32º

Empresários do Minho pedem boicote às relações comerciais com a Rússia

A Associação Empresarial do Minho (AEM), com sede em Braga, apelou hoje aos seus associados e à comunidade empresarial em geral que "cesse de forma imediata" as relações comerciais que tenham com a Rússia.

Empresários do Minho pedem boicote às relações comerciais com a Rússia
Notícias ao Minuto

14:27 - 28/02/22 por Lusa

Economia Associação

Em comunicado, a AEM refere que o objetivo é "exercer pressão" sobre o governo de Moscovo para que pare imediatamente o "ataque vil e infundado" à Ucrânia.

"É imperativo isolarmos economicamente a sociedade empresarial russa, para que isso seja um catalisador de desenvolvimento de ações que nos levem à paz", sublinha.

A AEM acrescenta que vai lançar, de imediato, duas ações para ajudar a Ucrânia e os seus cidadãos, uma das quais é o lançamento de uma plataforma de oferta de emprego em empresas suas associadas.

Na plataforma, os empresários poderão colocar as suas ofertas de emprego, que serão remetidas para as entidades diplomáticas ucranianas para a receção, emprego, fixação e integração de refugiados que queiram vir para Portugal e país e para a região do Minho trabalhar e fixar as suas famílias.

Por outro lado, a associação vai lançar uma campanha de angariação de fundos para apoio à Ucrânia, em parceria com a Cruz Vermelha Portuguesa.

A Rússia lançou na quinta-feira de madrugada uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já mataram mais de 350 civis, incluindo crianças, segundo Kiev. A ONU deu conta de quase 500 mil deslocados para a Polónia, Hungria, Moldova e Roménia.

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse que a "operação militar especial" na Ucrânia visa desmilitarizar o país vizinho e que era a única maneira de a Rússia se defender, precisando o Kremlin que a ofensiva durará o tempo necessário.

O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional e a União Europeia e os Estados Unidos, entre outros, responderam com o envio de armas e munições para a Ucrânia e o reforço de sanções para isolar ainda mais Moscovo.

Leia Também: Liga Árabe pede que partes envolvidas no conflito cheguem a acordo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório