Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

BEI e Galp acordam financiamento de 732 milhões em Espanha e Portugal

O Banco Europeu de Investimento (BEI) e a Galp acordaram o financiamento de até cerca de 732 milhões de euros para promover ações climáticas e a coesão social em Espanha e Portugal, foi hoje anunciado.

BEI e Galp acordam financiamento de 732 milhões em Espanha e Portugal
Notícias ao Minuto

13:50 - 22/10/21 por Lusa

Economia ações climáticas

Num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Galp indica que assinou com o BEI três acordos de financiamento para "a construção de parques de energia solar e a implantação de estações de carregamento de veículos elétricos (VE) em toda a Península Ibérica, promovendo ações climáticas e a coesão social em algumas das regiões mais frágeis em matéria de resiliência climática e económica".

"Globalmente, Galp e o BEI assinaram um financiamento total de 406,5 milhões de euros, o qual poderá aumentar até 731,5 milhões de euros numa fase posterior, com um montante adicional aprovado de 325 milhões de euros", precisa o comunicado.

No total, os três projetos apoiam ações climáticas e a coesão social, e irão gerar em média um total de 3,6 Terawatt-hora (TWh) de energia renovável/ano, o equivalente ao consumo de energia de aproximadamente 940.000 lares, adianta a empresa, indicando que "o banco da União Europeia (UE) está altamente empenhado com os esforços da UE para ser 'climate neutral' até 2050.

Através do Climate Bank Roadmap , o BEI pretende mobilizar um trilhão para investimentos em ações climáticas e de sustentabilidade ambiental, durante a década crítica que termina em 2030 e para esse efeito, o banco irá aumentar gradualmente o financiamento que atribui a estes objetivos para 50% até 2025, refere o comunicado.

A nota refere ainda que "a Galp está totalmente empenhada em ser uma empresa 'net zero emissions' até 2050, com objetivos de descarbonização intermédios até 2030" e que "na sua jornada transformacional, a Galp é um dos principais produtores de energia solar fotovoltaica na Península Ibérica, e comprometeu-se a atribuir metade do seu 'capex' líquido de 2021-2025 a projetos relacionados com a transição para um modelo energético de baixo carbono, incluindo 30% em energias renováveis e 5% em novos negócios".

Entre os três empréstimos, um, de 41,5 milhões de euros, destina-se a promover o projeto de mobilidade elétrica da Galp, o qual consiste na instalação de pontos de carregamento de VE em Espanha e Portugal.

"O setor rodoviário é responsável por três quartos de todas as emissões dos transportes na UE e não será possível atingir o objetivo da UE de neutralidade carbónica até 2050 sem uma mudança crucial para a mobilidade elétrica no setor rodoviário", indicam, adiantando que "o projeto prevê a implantação de 5.500 pontos de carregamento até 2025, 55% dos quais serão localizados em regiões menos desenvolvidas e de coesão de transição em toda a Península Ibérica.

A Galp afirma ainda que "se espera também que o acordo contribua para o desenvolvimento do mercado de infraestruturas de carregamento de veículos elétricos, melhorando o desempenho tecnológico, reduzindo os custos iniciais de equipamento, e mobilizando investimentos nas indústrias de veículos elétricos, contribuindo assim para veículos mais eficientes e acessíveis".

Em conformidade com a Política de Empréstimos para Transportes do BEI, o projeto é apoiado pelo Cleaner Transport Facility (CTF) e beneficia do Connecting Europe Facility Debt, um instrumento financeiro que apoia os objetivos do CTF.

A Galp tem a intenção de expandir a sua oferta de postos de carregamento para 10.000 até 2025 na Península Ibérica.

Outro empréstimo do BEI, no valor de 40 milhões de euros destina-se a financiar o projeto fotovoltaico da Galp, o qual consiste em parques de energia solar fotovoltaicas com uma capacidade de 144 MWp na região do Algarve, Portugal.

Este projeto da Galp consiste na construção e exploração de quatro parques de energia solar fotovoltaica interligados com uma capacidade total de 144 MWp no Algarve (sul de Portugal), no município de Alcoutim (Viçoso, 48,0 MWp; Pereiro, 18,7 MWp; São Marcos, 48,9 MWp; e Albercas, 28,4 MWp).

Uma vez operacionais, espera-se que os quatro parques de energia solar produzam em média 230 GWh de energia renovável por ano, o equivalente ao consumo anual de energia de 72.800 lares.

Dos três empréstimos do BEI, o maior, de 325 milhões de euros destina-se a financiar o projeto fotovoltaico da Galp, o qual consiste num portfólio com uma capacidade de cerca de dois Global Warming Potential (GWP) de parques de energia solar em Espanha, equivalente ao consumo anual de energia de 866.400 lares.

Um montante adicional de 325 milhões de euros poderá também ser assinado sob o formato de Project Finance numa fase posterior, o que significa que o financiamento global do BEI para este projeto poderá ascender a 650 milhões de euros.

"Temos o prazer de apoiar a Galp no seu percurso de descarbonização e unir forças para promover ações climáticas e a geração de energia renovável tanto em Espanha como em Portugal. Estes três projetos contribuem para os objetivos estabelecidos no Green Deal da UE e irão apoiar os objetivos de descarbonização dos países, ao mesmo tempo que impulsionam o crescimento económico, a criação de emprego e a coesão social", disse o vice-presidente do BEI, Ricardo Mourinho Félix, citado no comunicado.

Leia Também: Clima: Parlamento Europeu apela a ação mundial imediata

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório