Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2021
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

Bolsas europeias em baixa, à espera de mais indicadores macroeconómicos

As principais bolsas europeias estavam hoje a negociar em baixa, à espera de mais indicadores macroeconómicos, depois da divulgação na terça-feira de uma ligeira descida da inflação nos Estados Unidos em agosto.

Bolsas europeias em baixa, à espera de mais indicadores macroeconómicos
Notícias ao Minuto

09:05 - 15/09/21 por Lusa

Economia Mercado

Cerca das 08:50 em Lisboa, o EuroStoxx 600 descia 0,11% para 467,17 pontos.

As bolsas de Londres e Paris recuavam 0,05% e 0,23%, bem como as de Madrid e Milão, que se desvalorizavam 0,31% e 0,09%, respetivamente.

Frankfurt era a exceção, já que estava inalterada.

Alinhada com as europeias, a bolsa de Lisboa recuava, estando cerca das 08:50, o principal índice, o PSI20, a cair 0,11% para 5.383,99 pontos.

Os investidores, que hoje esperam a publicação da produção industrial da zona euro e dos EUA, estavam cautelosos devido às dúvidas sobre a evolução do ciclo económico e a inflação.

A taxa de inflação homóloga norte-americana desceu para 5,3% em agosto, menos 0,1 pontos que em julho, num primeiro sinal de arrefecimento dos preços depois de meses de subidas sustentadas, apesar de ainda se manter elevada.

Em termos mensais, a inflação subiu 0,3% face a julho, menos duas décimas do que em julho face a junho (0,5%), o menor acréscimo mensal dos preços em seis meses.

A inflação subjacente, que exclui os preços dos alimentos e combustíveis, componentes mais voláteis, em agosto foi de 0,1 em agosto face a julho e de 4% face a agosto de 2020.

A Reserva Federal dos EUA assegurou que as causas do aumento da inflação são "transitórias" e prevê que esta vá desacelerando nos próximos meses.

A bolsa de Nova Iorque terminou em baixa na terça-feira, com o Dow Jones a descer 0,84% para 34.577,57 pontos, contra o atual máximo desde que foi criado em 1896, de 35.625,40 pontos, verificado em 16 de agosto.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a desvalorizar-se 0,45% para 15.037,76 pontos, contra o atual máximo de 15.374,33 pontos registado em 07 de setembro.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de câmbios de Frankfurt, a cotar-se a 1,1810 dólares, contra 1,1822 dólares na terça-feira e o atual máximo desde maio de 2018, de 1,2300 dólares, em 05 de janeiro.

O barril de petróleo Brent para entrega em novembro abriu também em alta no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, a cotar-se a 74,31 dólares, contra 73,60 dólares na terça-feira e o atual máximo desde pelo menos o início de 2018, de 77,16 dólares, verificado em 05 de julho.

Leia Também: Bolsas europeias em baixa, à espera da inflação nos EUA em agosto

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório