Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2021
Tempo
23º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

Renault recupera no primeiro semestre de 2021 "após um ano difícil"

O grupo Renault recuperou no primeiro semestre registando um lucro líquido de 368 milhões de euros, estabelecendo como objetivo o plano de poupança após "um ano de 2020 muito difícil".

Renault recupera no primeiro semestre de 2021 "após um ano difícil"
Notícias ao Minuto

08:49 - 30/07/21 por Lusa

Economia Renault

O grupo anunciou hoje uma margem operacional de 654 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano, correspondendo a 2,8% do volume de negócios.

A faturação da empresa foi de 23 mil milhões de euros, uma subida de 26,8%, face ao mesmo período do ano passado, mas 16,7% menos do que em 2019.

A Renault perdeu 7,39 mil milhões de euros no primeiro semestre de 2020.

Num comunicado, o grupo automóvel francês, que precisa que ganhou 1.048 milhões no primeiro semestre de 2019, o último exercício financeiro em circunstâncias normais, adianta que o volume de negócios atingiu 23.357 milhões de euros no primeiro semestre desde ano, mais 26,8% do que em igual período de 2020, mas 16,7% abaixo nos primeiros seis meses de 2019.

"Voltámos a ganhar dinheiro no nosso negócio principal", salientou o CEO (Chief Executive Officer) do grupo, Luca de Meo, numa conferência telefónica com analistas financeiros.

O grupo sublinhou que deve atingir os objetivos do plano de poupança, dois mil milhões de euros tendo já atingido os 1,8 mil milhões de euros. 

A crise de componentes relacionada com a falta dos semicondutores continua a desacelerar o ritmo da montagem podendo levar a uma perda de produção de cerca de 200.000 veículos ao longo do ano, alerta a Renault.

"Demos um passo importante para restaurar nosso equilíbrio financeiro", disse Clotilde Delbos, diretora financeira do Grupo Renault.

As vendas globais foram de 1.422.563 veículos, tendo registado um aumento de 18,7% face à primeira metade de 2020, embora 24,2% abaixo das de 2019.

A contribuição da Nissan do Japão para o lucro líquido foi de 100 milhões de euros, em comparação com uma perda de 4.817 milhões de euros no primeiro semestre do ano passado.

A empresa destacou a melhoria de outros indicadores, tais como a margem operacional sobre vendas e 'cash flow' (-70 milhões de euros em comparação com -6.375 milhões na primeira metade de 2020 e -716 milhões na de 2019), ou que o objetivo de reduzir os custos fixos em 2.000 milhões de euros será alcançado até ao final de 2021, um ano antes do previsto.

"Estes resultados são o fruto do nosso plano estratégico Renaulution, centrado na rentabilidade. Marcam a primeira fase da nossa recuperação, que deverá acelerar-se com a chegada de novos veículos em preparação", disse Luca de Meo no comunicado de divulgação dos resultados.

Sobre os novos modelos, salientou a importância do regresso do R5 sobre uma nova plataforma elétrica do segmento B, que deverá chegar em 2024 com o objetivo de "democratizar o veículo elétrico na Europa".

A melhoria das finanças do grupo ocorreu apesar do impacto negativo das taxas de câmbio em alguns dos países onde opera, tais como a Argentina, o Brasil e a Rússia.

Mesmo assim, a Renault advertiu que os problemas de fornecimento de componentes, especialmente semicondutores, poderão significar que cerca de 200.000 unidades não serão produzidas até ao final do ano, enquanto o aumento do preço de algumas matérias-primas deixará a margem operacional melhorada para o ano inteiro ao mesmo nível do primeiro semestre do ano.

O aumento das matérias-primas afeta produtos como o cobre ou o alumínio e pode significar um aumento dos custos de fabrico de cerca de 500 a 600 euros por veículo, salientou a chefe de finanças do grupo, Clotilde Delbos, numa conferência com jornalistas.

Delbos disse que os fabricantes podem transmitir parte do aumento para os consumidores, mas também compensar o aumento da produtividade e da eficiência interna, que é o que está a ser feito.

[Notícia atualizada às 12h30]

Leia Também: Lucros da Amazon sobem 48% para 7,8 mil milhões de dólares

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório