Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2024
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 14º

Produção renovável com 68% do consumo de eletricidade no 1.º semestre

A produção renovável abasteceu 68% do consumo de energia elétrica no primeiro semestre do ano, repartida pela hidroelétrica (32%), eólica (26%), biomassa (7%) e fotovoltaica (3%), enquanto a produção não renovável abasteceu 29%, divulgou hoje a REN.

Produção renovável com 68% do consumo de eletricidade no 1.º semestre
Notícias ao Minuto

11:10 - 02/07/21 por Lusa

Economia Renováveis

Segundo os dados da REN - Redes Energéticas Nacionais, "a produção renovável abasteceu 68% do consumo de energia elétrica no primeiro semestre do ano, repartida pela hidroelétrica, com 32%, eólica, com 26%, biomassa, com 7% e fotovoltaica, que atingiu pela primeira vez pontas acima de 800 MW [megawatts], com 3%".

Já a produção não renovável abasteceu 29% do consumo, repartida por gás natural, com 27%, e carvão, com 2%, e os restantes 3% corresponderam a energia importada.

No primeiro semestre, o índice de produtibilidade hidroelétrica situou-se em 1,11 e o de produtibilidade eólica em 0,97, ambos com média histórica igual a 1.

No mês de junho, o consumo de energia elétrica registou um crescimento de 6,7%, ou 7,1% com correção dos efeitos de temperatura e número de dias úteis, comparativamente ao mesmo mês do ano passado.

No final do semestre em análise, registou-se uma tendência de recuperação face ao ano anterior, com um crescimento homólogo de 3,2%, ou 3,4%, com correção de temperatura e dias úteis, embora se registe uma quebra de 2% face ao mesmo período de 2019.

De acordo com a REN, em junho, tanto a produção hidráulica como a eólica registaram condições próximas do regime médio, com índices de produtibilidade de 0,96 e 0,99, respetivamente, ambos com média histórica igual a 1.

Naquele mês, o conjunto da produção renovável abasteceu 49% do consumo, a não renovável abasteceu 43% e a importação os restantes 8%.

Já no mercado de gás natural registou-se uma "forte recuperação" face ao período homólogo, com uma variação mensal de 18%, repartida por 11% no segmento convencional e 29% no segmento de produção de energia elétrica.

No final do primeiro semestre, apesar de uma queda de 3,3% no consumo para produção de energia elétrica, verificou-se uma variação homóloga positiva de 5,1%, impulsionada pelo crescimento de 8,9% no segmento convencional, segundo a REN.

Relativamente a 2019, a quebra registada foi de apenas 0,6%.

Leia Também: Esta casa na Índia reduz o impacto ambiental e usa energia renovável

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório