Meteorologia

  • 18 JUNHO 2021
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 22º

Edição

Indicadores compósitos da OCDE apontam para melhoria da atividade

Os indicadores compósitos avançados da OCDE continuaram, em abril, a apontar para uma melhoria na atividade económica em toda a zona euro e em alguns dos grandes países que a compõem, tais como a Alemanha, Itália e Espanha.

Indicadores compósitos da OCDE apontam para melhoria da atividade
Notícias ao Minuto

13:02 - 11/05/21 por Lusa

Economia OCDE

Num comunicado, a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) afirmou hoje que os indicadores, que apontam antecipadamente alterações no ciclo económico, continuam a apontar para "um aumento a um ritmo constante".

O indicador compósito avançado de Portugal subiu para 97,1 pontos, mais 50 centésimos que em março, mas ainda se mantém muito abaixo dos 100 pontos que representam a média de longo prazo.

Os aumentos mensais foram um pouco maiores na Alemanha (33 centésimas) e Itália (37 centésimas), que em ambos os casos estavam acima da média de longo prazo, já que subiram para 101,14 e 100,79 pontos, respetivamente.

Dentro da zona euro, a evolução é menos favorável para França, com um avanço mensal de 18 centésimos para 98,13 pontos, mas que de acordo com a OCDE, antecipa um "crescimento estável".

Fora da zona euro, os indicadores mostram que outras grandes economias como os Estados Unidos, Japão e Canadá continuaram a progredir "a um ritmo constante".

Os Estados Unidos subiram para 100,50 pontos em abril, mais 28 centésimas do que em março.

No Chile, o aumento em abril foi mínimo (três centésimos) mas para um nível muito elevado (102,97 pontos), o mais alto de todos os países da organização.

Quanto às grandes economias emergentes, que não pertencem à OCDE, os indicadores mostram sinais de um aumento da atividade a um ritmo constante na Rússia e na China, como foi o caso no mês anterior.

Na Índia, contudo, os estaticistas apontam agora para um abrandamento, enquanto no Brasil os indicadores continuam a apontar para "uma inflexão no crescimento".

O indicador do Brasil caiu 26 centésimas em abril face a março, a terceira queda mensal consecutiva, e situou-se em 102,78 pontos.

Leia Também: Exército do Burkina Faso afirma ter matado pelo menos 20 'jihadistas'

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório