Meteorologia

  • 26 NOVEMBRO 2020
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Menos desempregados com subsídio nos EUA mas alguns cessaram direito

O número de desempregados que recebe subsídios caiu drasticamente nos Estados Unidos, o que sugere uma recuperação do mercado de trabalho, mas alguns beneficiários viram chegar ao fim o pagamento desta prestação social.

Menos desempregados com subsídio nos EUA mas alguns cessaram direito
Notícias ao Minuto

06:36 - 23/10/20 por Lusa

Economia desempregados

Este quadro é pintado num altura em que as negociações entre a Casa Branca e a oposição democrata sobre um novo plano de apoio económico estão num impasse, a menos de duas semanas das eleições presidenciais.

Os novos pedidos de subsídio de desemprego continuaram a recuar na semana passada, com 787.000 pessoas a inscreverem-se no desemprego, contra 842.000 na semana anterior, de acordo com os dados publicados hoje pelo Departamento do Trabalho.

Mas, acima de tudo, uma nota de otimismo num mercado de trabalho deprimido, o número de desempregados que recebe este benefício social está a cair drasticamente. Pela terceira semana consecutiva, um milhão de pessoas saiu das estatísticas de desemprego.

Se já não recebem subsídio de desemprego, é, para cerca de metade deles, porque encontraram um novo emprego. Essa é uma boa notícia para o Presidente Donald Trump, que concorre para um segundo mandato e se apresenta como o melhor candidato para colocar a economia norte-americana, paralisada pela pandemia de covid-19, de volta nos carris.

Outra razão para explicar a diminuição dos beneficários do subsídio é a de que algumas pessoas continuam desempregadas há mais de seis meses e, portanto, não podem beneficiar da prestação social.

Nos Estados Unidos, cada um dos 50 Estados fixa o montante do subsídio e a sua duração.

"A maioria dos Estados concede seis meses de subsídios e outubro marca o oitavo mês desta crise. Iso significa que muitos trabalhadores chegaram ao fim do seu direito de receber" a prestação, comentou, numa mensagem na rede social Twitter, Heidi Shierholz, do Instituto de Política Económica, um centro de reflexão de esquerda.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório