Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2020
Tempo
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Portugal pode "tirar o máximo" do fundo de recuperação, diz Von der Leyen

Elogios de parte a parte marcaram as intervenções de António Costa e Ursula Von der Leyen esta terça-feira, em Lisboa, sobre os planos de recuperação.

Portugal pode "tirar o máximo" do fundo de recuperação, diz Von der Leyen
Notícias ao Minuto

10:00 - 29/09/20 por Notícias Ao Minuto com Lusa 

Economia planos de recuperação

A presidente da Comissão Europeia afirmou hoje que "Portugal está bem colocado para tirar o máximo" do fundo de recuperação da União Europeia, num discurso marcado por elogios à inovação e resiliência de Portugal e dos portugueses, enquanto Costa apresentou o esboço do plano que será entregue em outubro

"Acredito que o passado e o presente de Portugal e Lisboa podem ser um guia para o nosso futuro", começou por dizer a presidente da Comissão Europeia. Von der Leyen adiantou ainda que "Portugal mostrou o melhor de si e o melhor da Europa" e que "Lisboa é um exemplo de renovação", admitindo, porém, que a pandemia ainda não terminou e ainda há muito trabalho a fazer. 

A presidente da Comissão Europeia sublinhou a capacidade de Portugal de implementar reformas, ao mesmo tempo que destacou a existência de investimento. "Portugal já é um líder digital", adiantou, exemplificando com a Web Summit. "Portugal está na linha da frente na luta contra as alterações climáticas", referiu ainda a presidente da Comissão. 

"Portugal vai ser um forte beneficiário do Next Generation EU [Próxima Geração UE]", reiterou a presidente da Comissão Europeia, em linha com as declarações que tinha já proferido. "Vamos garantir que ninguém é deixado para trás", acrescentou, referindo-se ao programa de apoio ao emprego - SURE

Recorreremos integralmente às subvenções e não utilizaremos a parte relativa aos empréstimos enquanto a situação financeira do país não o permitirPor seu turno, António Costa disse que a "Covid-19 foi uma ameaça à saúde, mas também um desafio para a UE. "A UE respondeu nesta crise como nunca respondeu e mostrou estar à altura", disse o primeiro-ministro, elogiando a equipa de Von der Leyen. "O passo dado pela Comissão foi histórico", sublinhou, adiantando que cabe agora aos Estados-membros fazer um bom uso do plano. 

Costa explicou que a seleção de projetos para o plano de recuperação nacional respondeu aos seguintes fatores: elegíveis, exequíveis, sem dívida, com duplo efeito e em parceria.

"Recorreremos integralmente às subvenções e não utilizaremos a parte relativa aos empréstimos enquanto a situação financeira do país não o permitir", adiantou o primeiro-ministro

Reveja aqui a cerimónia

Para a cerimónia, que foi iniciada com uma intervenção da presidente da Fundação Champalimaud, Leonor Beleza,  foram convidados representantes das 27 comunidades intermunicipais, das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, da Associação Nacional dos Municípios Portugueses e da Associação Nacional de Freguesias. Estarão também representantes das regiões autónomas dos Açores e da Madeira, do Conselho dos Institutos Superiores Politécnicos, do Conselho de Reitores da Universidade Portuguesa, parceiros sociais e associações empresariais

O plano português, cujas linhas gerais foram apresentadas no passado dia 21 aos partidos e debatidas no Parlamento na quarta-feira passada, mereceu críticas da esquerda à direita, com as forças políticas a mostrarem-se, contudo, disponíveis para dar contributos.

Em entrevista à Lusa, Ursula von der Leyen sustentou que o 'NextGenerationEU', o fundo de recuperação proposto pelo seu executivo e acordado pelos líderes europeus numa longa cimeira em julho passado, dá à Europa "a oportunidade não só de reparar os danos e recuperar da situação atual, mas de moldar um melhor modo de vida" e destacou que "Portugal será um importante beneficiário".

De acordo com o compromisso alcançado em julho passado, Portugal receberá 15,3 mil milhões de euros em subvenções (a fundo perdido), incluindo 13,2 mil milhões de euros, até 2023, através do Mecanismo de Recuperação e Resiliência, o principal instrumento do Fundo de Recuperação.

Segundo a presidente da Comissão, o apoio que Portugal receberá "vai proporcionar os meios para impulsionar a recuperação da economia portuguesa, assente na dupla transição ecológica e digital, e assegurando ao mesmo tempo que ninguém é deixado para trás".

[Notícia atualizada às 11h20]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório