Meteorologia

  • 05 MARçO 2021
Tempo
17º
MIN 11º MÁX 17º

Edição

Moçambique será principal motor do crescimento da Mota-Engil em África

A Mota-Engil estima que Moçambique seja "o principal contribuidor" para o crescimento do grupo em África nos próximos anos, onde a faturação cresceu 11% para mil milhões de euros em 2019 e a previsão de longo prazo é "positiva".

Moçambique será principal motor do crescimento da Mota-Engil em África
Notícias ao Minuto

12:53 - 12/03/20 por Lusa

Economia Mota-Engil

"Estima-se que Moçambique seja o principal contribuidor para o crescimento durante os próximos anos devido aos contratos em execução (Vale) e potenciais novos contratos que possam vir a ser adjudicados, mantendo a Mota-Engil uma forte operação nos outros mercados principais", avança a empresa numa apresentação dos resultados de 2019 enviada à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo adianta, no ano passado a margem EBITDA (resultados antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) em África foi de 22%, "com contribuição resiliente dos principais mercados", sendo a previsão para 2020 de um "crescimento do volume de negócios em um dígito (alto) e margem EBITDA de 20%".

A Mota-Engil tem atualmente atividade em 11 países africanos - Angola, Moçambique, Malaui, África do Sul, Zimbabué, Uganda, Ruanda, Guiné-Conacri, Camarões, Costa do Marfim e Quénia -- e uma carteira de obras de 2.711 milhões de euros.

Globalmente, a Mota-Engil atingiu em 2019 um volume de negócios de 2,8 mil milhões de euros (+2,2%), num ano em que o grupo viu o lucro subir 13% para 27 milhões de euros.

Segundo a informação comunicada pela empresa à CMVM, o EBITDA fixou-se em 420 milhões de euros, com uma margem de 15%, com os negócios não construção de representarem 24% do total.

O volume de negócios chegou aos 2.848 milhões, "com contributo balanceado entre regiões e com os negócios não construção a representarem 19% do total", acrescenta o grupo.

O resultado financeiro de 2019 foi "positivamente influenciado por ganhos cambiais, enquanto os custos financeiros permaneceram estáveis", refere a informação divulgada pela CMVM.

A empresa teve no ano passado uma carteira de encomendas de 5,4 mil milhões e, ao nível do desempenho financeiro, o grupo teve um investimento de 262 milhões de euros.

A dívida líquida da Mota-Engil atingiu os 1.185 milhões de euros.

As receitas da Mota-Engil cresceram 2% na Europa e 11% em África. A América Latina contrariou a tendência, recuando 11% para 950 milhões de euros, num período em que,de acordo com a empresa, a "execução de projetos no Brasil e no Peru apresentou subida de dois dígitos".

Na Europa o volume de negócios atingiu os 880 milhões de euros, em África os 1.007 milhões e na América Latina os 950 milhões de euros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório