Meteorologia

  • 18 JANEIRO 2022
Tempo
14º
MIN 6º MÁX 14º

Edição

Subida da taxa do IMT é "atentado ao imobiliário"

O presidente da Associação de Empresas de Consultoria e Avaliação Imobiliária (ACAI) defendeu que a subida da taxa do IMT, incluída na proposta do Orçamento do Estado para 2020, constitui "mais um atentado ao imobiliário".

Subida da taxa do IMT é "atentado ao imobiliário"
Notícias ao Minuto

15:19 - 18/12/19 por Lusa

Economia OE2020

Citado, em comunicado, Eric van Leuven defendeu que "o agravamento da taxa de IMT [Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis] representa mais um atentado ao imobiliário, através da via tributária".

Em causa está o pagamento de uma taxa de 7,5% nas transações de imóveis de valor superior a um milhão de euros.

De acordo com a proposta do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), os limites dos valores das transações sujeitas a IMT mantêm-se em 2020, bem como as respetivas taxas, face aos que vigoram em 2019, mas é criado um escalão que incide sobre vendas de imóveis que envolvam montantes acima de um milhão de euros.

Até agora, estavam sujeitas a uma taxa única de 6% as transações de valor superior a 574.323 euros, mas a partir de 2020 esta será a taxa para valores entre 574.323 e um milhão de euros. A partir deste valor, é aplicada uma taxa única de 7,5%.

Para a ACAI, esta medida, que irá provocar o aumento do preço das casas e uma "maior propensão para a evasão fiscal", demonstra o "desprezo do Governo" por um dos setores "que mais tem contribuído para a dinamização do emprego e da economia".

A associação sublinhou ainda que a fiscalidade sobre o setor imobiliário já representa mais de 30% do preço final das casas, que, a confirmar-se esta medida, "será agravado substancialmente".

O IMT é calculado sobre o montante da transação ou o valor patrimonial tributário (VPT) do imóvel, incidindo sobre o maior dos dois.

Quando está em causa a compra de casa destinada a habitação própria e permanente há lugar a isenção do imposto até aos 92.407 euros.

O Governo entregou, esta segunda-feira, na Assembleia da República a proposta do OE2020, na qual prevê um excedente de 0,2% do PIB no próximo ano, mantendo a previsão do défice de 0,1% este ano.

A proposta do Governo prevê ainda uma taxa de crescimento económico de 1,9% e uma descida da taxa de desemprego para 6,1%.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório