Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2020
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 16º

Edição

Poder de compra sobe ligeiramente. Portugal na 16.º posição na zona euro

O poder de compra em Portugal fixou-se em 76,8% da média da União Europeia em 2018, acima dos 76,6% no ano anterior, de acordo com os dados divulgados pelo INE.

Poder de compra sobe ligeiramente. Portugal na 16.º posição na zona euro
Notícias ao Minuto

10:16 - 13/12/19 por Beatriz Vasconcelos 

Economia Poder de compra

O poder de compra em Portugal fixou-se em 76,8% da média da União Europeia em 2018, acima do ano anterior (76,6%), ocupando o 16.º lugar entre os países da zona euro, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), esta sexta-feira.

"Em Portugal, o Produto Interno Bruto per capita (PIBpc) medido em Paridades de Poder de Compra (PPC), situou-se em 76,8% da média da UE28 em 2018, valor superior em 0,2 pontos percentuais ao verificado em 2017 (76,6%)", pode ler-se no relatório do INE. "Entre os 19 estados membros que integram a zona Euro, Portugal ocupava em 2018 a 16ª posição, abaixo da Estónia (81,6), da Lituânia (80,3) e à frente da Eslováquia, Letónia e Grécia", aponta. 

O PIB per capita em paridade de poder de compra é um dos indicadores mais utilizados na análise do desenvolvimento. Um exmplo é que este indicador permite que a China, embora com uma economia nominalmente menor que a dos EUA, seja considerada a maior do mundo ao considerar o custo de vida para a população.

Bem-estar económico melhorou

"Enquanto o PIBpc é, principalmente, um indicador do nível de atividade económica, a Despesa de Consumo individual per capita (DCIpc) é um indicador mais apropriado para refletir o bem-estar das famílias. Em parte devido a efeitos associados à redistribuição do rendimento, a dispersão da DCIpc tende a ser menor que a evidenciada pelo PIBpc", adverte o INE.

Este último indicador, sublinhe-se, inclui além das despesas de consumo final das famílias, as transferências sociais em espécie das Administrações Públicas para as famílias, como por exemplo as comparticipações públicas nos preços de medicamentos e outros produtos farmacêuticos. Neste caso, Portugal registou uma taxa de 82,9% da média da UE em 2018, superior aos 81,5% registados em 2017.

"Tomando como referência este indicador [DCIpc], o posicionamento relativo de Portugal é superior à indicada pelo PIBpc no conjunto dos países considerados, ocupando a 13ª posição entre os países da zona euro. Entre 2017 e 2018, a DCIpc medida em PPS fixou-se em 82,9% da média da UE, valor superior em 1,4 pontos percentuais ao observado em 2017 (81,5%)", explica o INE.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório