Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 21º

Colega de Atsu revela: "Estava a conversar com ele ao telefone..."

Kévin Soni contou o que viveu durante o sismo na Turquia e reagiu às notícias do ex-FC Porto, que continua desaparecido.

Colega de Atsu revela: "Estava a conversar com ele ao telefone..."
Notícias ao Minuto

19:26 - 08/02/23 por Notícias ao Minuto

Desporto Turquia

A Turquia ainda procura calma depois da confusão gerada pelo sismo de segunda-feira. Várias cidades do país foram abaladas pelo tremor de terra, de magnitude 7.7 na escala de Richter, entre elas Hatay, onde vive e joga o francês Kévin Soni.

O atleta, colega do ex-FC Porto Christian Atsu, contou ao Footmercato o que viveu durante o sismo na Turquia, o que o levou a pensar em trauma e vaidade.

"Foi algo que nunca experienciei antes. É realmente algo que não esperas e que te marca para a vida toda. Costuma-se dizer que na vida nunca se sabe. Posso dizer que realmente vi por que se diz isso. Meti na cabeça há algum tempo que o fim do mundo é mesmo o fim. Vi pessoas a morrerem ao meu lado, estou traumatizado. Hoje percebo que a vida está por um fio. É nestas alturas que percebemos que tudo é vaidade. Toda a gente abandona as casas e os carros que tem em busca de refúgio. Foi digno de um filme da Netflix, exceto que, infelizmente, era a realidade", começou por dizer.

Kévin contou o pânico que viveu ao lado dos primos.

"Estive lesionado um mês e voltei a jogar no domingo, contra o Kasimpasa. Fui para casa depois do jogo, estava sentado com os meus primos a jogar consola. Por volta das quatro da manhã, o chão começou a tremer. Na hora, disse para se manterem calmos. Foi aí que o teto e as paredes começaram a cair sobre nós e começámos a fugir escada acima. Só tive tempo de pegar no passaporte e no telemóvel, nem sei como o fiz. Conseguimos fugir do prédio antes que desabasse", contou.

O francês pensou saltar do sétimo andar do prédio no momento de maior aflição.

"Foi um dia em que tudo mudou. Houve muitas mortes. Se me dissessem isto há uma semana, eu dizia que era impossível. Senti tudo a tremer e pensei até que fosse o vento forte lá fora. Depois, quando vi os tremores mais fortes e o chão a partir-se em dois, achei que era sério. Comecei a pensar saltar do sétimo andar pela janela, mas percebi que, se o fizesse, ia partir o pé e não ia jogar mais futebol. Então subi as escadas", acrescentou, dizendo que temeu pela vida.

Christian Atsu continua desaparecido na confusão da cidade de Hatay. Kévin falou sobre o ex-FC Porto.

"Antes de tudo acontecer, estava a conversar com o Atsu ao telefone. Ele marcou uma livre no jogo de domingo e eu disse-lhe que jogou bem. Disse-lhe que esperava encontrá-lo em campo rapidamente para que pudéssemos jogar juntos. Mas eu não sabia que era a última vez que falava com ele. Duas horas depois, não tive mais notícias. Disseram-me que o meu amigo pode estar morto. Com certeza fui a última pessoa a falar com ele por telefone. Não tenho orgulho de o dizer, realmente espero que o encontremos são e salvo. É o meu desejo. Eu rezo por isso todos os dias", concluiu.

Leia Também: Atsu desaparecido. Homem encontrado nos escombros não é o ex-FC Porto

Recomendados para si

;

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório