Meteorologia

  • 25 FEVEREIRO 2021
Tempo
11º
MIN 11º MÁX 15º

Edição

Foi 2020 o ano mais dourado do desporto motorizado português?

Tentámos puxar pela memória e não resultou. Tentámos pesquisar e também não tivemos sucesso. Ao que tudo indica, 2020 foi ano mais brilhante de toda a história do desporto motorizado português. Passamos a explicar porquê.

Foi 2020 o ano mais dourado do desporto motorizado português?

Terá sido 2020 o melhor ano de sempre para o desporto motorizado português? Esta é sempre uma pergunta de difícil resposta, mas costuma dizer-se que contra factos, não há argumentos. Por isso, vamos rapidamente passar aos argumentos que podem dar a resposta que tanto procuramos.

'A Portuguesa' foi ouvida por este mundo fora e vimos pilotos carregar a bandeira nacional com o maior orgulho. Não uma vez, não duas, mas várias vezes durante este atípico ano de 2020. Além disso ainda fomos palco das duas das maiores provas do desporto motorizado mundial.

António Félix da Costa, Miguel Oliveira, Filipe Albuquerque, Henrique Chaves, Miguel Ramos e até as provas de Formula 1 e MotoGP realizadas em solo nacional foram um marco para este, indiscutível, verdadeiro ano de ouro no desporto motorizado português.

Não um... mas dois campeões do mundo

A Formula E é uma disciplina relativamente recente, mas a competitividade existente é abrupta. E, apesar dos poucos anos de existência, o valor da conquista de António Félix da Costa é enorme. O piloto português sagrou-se campeão do Mundo de Formula E pela primeira vez naquele que foi, talvez, o melhor ano da sua carreira.

Um título dominador e reconhecido por todos. Afinal, Félix da Costa foi o campeão com maior margem de sempre para o segundo classificado, Stoffel Vandoorne - 71 pontos. O piloto da DS Techeetah entrou na 'season finale', disputada em Berlim', no primeiro lugar do campeonato, e saiu da capital alemã com o título no bolso, depois de um domínio avassalador nas duas primeiras corridas na Alemanha. 

Notícias ao Minuto© Getty Images

Três poles positions, três pódios e três vitórias numa época de ouro para António Félix da Costa, que ainda se sagrou vice-campeão do mundo no WEC, o Campeonato do Mundo de Resistência. Nesta competição, o piloto de 28 anos ficou atrás de... outro português. 

Filipe Albuquerque, aos 35 anos, provavelmente alcançou o melhor ano da sua carreira. No início de 2020, o piloto natural de Coimbra estaria longe de pensar que iria conseguir ser campeão do Mundo de Resistência no WEC, campeão europeu no ELMS e ainda vencedor de uma das mais icónicas provas do desporto automóvel: Le Mans. Albuquerque, recorde-se, venceu a prova na categoria LMP2 pela primeira vez.

Ao serviço da equipa United Autosports, o piloto português conseguiu vencer tudo aquilo que havia para vencer e, para 2021, já estabeleceu um novo objetivo: defender os títulos e encontrar a glória no IMSA, o Campeonato de Resistência dos EUA.

Notícias ao Minuto© Reprodução Filipe Albuquerque Facebook

História no MotoGP

Das quatro para as duas rodas, Portugal tem também muitas razões para sorrir e tudo porque Miguel Oliveira começou a escrever uma página de ouro no motociclismo mundial. Quem não se lembra daquela última curva no circuito austríaco do Red Bull Ring? Miguel Oliveira ultrapassou Jack Miller e Pol Espargaró para uma das mais épicas vitórias na história do MotoGP

O piloto da KTM Red Bull Tech3 tornou-se no primeiro português a vencer uma corrida no Mundial de MotoGP, numa temporada onde brilhou até final. Na última prova do ano, em Portimão, Miguel Oliveira foi rei e senhor. Pole position no GP de Portugal, vitória e volta mais rápida na prova. Mundial fechado com chave de ouro e muito boas perspetivas para a próxima temporada. O piloto luso terminou o campeonato do Mundo de MotoGP na 9.ª posição e em 2021 vai representar as cores da equipa de fábrica da KTM. Teremos o 'nosso' Miguel Oliveira como candidato ao título?

E ainda mais uma vitória portuguesa no International GT Open

Como se isto não bastasse, também no GT Open os campeões foram... portugueses. Henrique Chaves e Miguel Ramos sagraram-se campeões depois de uma época muito competitiva e com um final impróprio para cardíacos.

Em Barcelona, onde decorreu a última prova da temporada, a dupla lusa da Teo Martín Motorsport esteve perto de perder o título após uma manobra desonesta da dupla rival. Vicent Abril e Louis Prette quase estragaram a festa a Chaves e Ramos, mas, mesmo sem terminar a corrida, a organização decidiu dar a vitória aos portugueses, penalizando os pilotos da AF Corse.

 

F1 e MotoGP em Portimão 

Foi, sem dúvida, um ano atípico. A Covid-19 fez cancelar várias provas um pouco por todo o mundo, mas a verdade é que se abriu uma janela de oportunidade para o Autódromo Internacional do Algarve receber duas provas nas duas categorias máximas do desporto motorizado. Paulo Pinheiro, CEO do circuito algarvio, foi o grande 'culpado' disto tudo porque fez de tudo para receber a Formula 1 e o MotoGP em 2020. E conseguiu. 

A F1 regressou ao nosso país depois de 24 anos de ausência e o Grande Prémio de Portugal só não foi um sucesso maior devido à polémica relacionada com o número excessivo de espectadores nas bancadas. Ainda assim, a FIA deu os parabéns ao Autódromo Internacional do Algarve pela sua organização e, quem sabe, se em 2021 Lewis Hamilton e companhia não voltam a Portimão. A pista algarvia é uma das provas de reserva do Mundial e continua na calha para preencher uma vaga em aberto para o fim de semana de 25 de abril.

Notícias ao MinutoLando Norris no GP de Portugal em Formula 1© Getty Images

No que diz respeito ao MotoGP, os fãs portugueses não puderam estar presentes, mas viram pela televisão a categoria rainha do motociclismo voltar a solo luso após oito anos de ausência. E, verdade seja dita, os motivos para festejar são muitos. Como já dissemos acima, o Grande Prémio de Portugal em MotoGP foi o último da temporada e, apesar de Joan Mir vir com o título assegurado, todos fomos presenteados com um domínio avassalador de Miguel Oliveira em Portimão.

O piloto português fez a 'pole', venceu a corrida e realizou ainda a volta mais rápida da prova, batendo por completo toda a concorrência. Tal como a Formula 1, também o MotoGP pode vir a realizar uma nova prova em Portugal, mas nesta competição as hipóteses são maiores. O Desporto ao Minuto sabe que está praticamente tudo acertado para o Autódromo Internacional do Algarve voltar a receber um Grande Prémio em 2021, mas faltam ultimar alguns detalhes.

Ainda tem dúvidas que 2020 foi o melhor ano para o desporto motorizado português?

Notícias ao MinutoMiguel Oliveira a festejar o triunfo no GP de Portugal© Getty Images

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório