Meteorologia

  • 26 NOVEMBRO 2020
Tempo
MIN 8º MÁX 15º

Edição

As notas do Croácia-Portugal: Rúben Dias vestiu fato de goleador

Defesa português do Manchester City nunca tinha marcado pela seleção, mas na noite de ontem estreou-se em dose dupla e garantiu uma vitória a Portugal na despedida da Liga das Nações.

As notas do Croácia-Portugal: Rúben Dias vestiu fato de goleador

Portugal despediu-se da Liga das Nações, prova na qual título conquistou o título em 2019, com uma vitória arrancada a ferros na Croácia (3-2). Já afastada da final four, depois da derrota diante de França (0-1), a seleção nacional voltou a exibir-se, na noite de terça-feira, a um nível abaixo do esperado e muito aquém da qualidade dos jogadores que fazem parte do grupo às ordens de Fernando Santos. 

Com cinco alterações no onze inicial, a defesa portuguesa consentiu dois golos aos croatas, ainda que Rúben Dias tenha brilhado... por ter marcado outros tantos. 

João Félix foi o autor do outro golo português em Split, num lance ferido de legalidade. Diogo Jota foi quem assistiu Félix, mas o avançado do Liverpool tocou a bola com o braço esquerdo. O árbitro nada viu, o auxiliar também não e o VAR não existe na Liga das Nações. 

Vamos aos protagonistas. 

A figura 

Rúben Dias não tinha qualquer golo marcado ao serviço da seleção nacional até à noite de ontem. Estreou-se a marcar logo em dose dupla e conseguiu evitar que a má exibição portuguesa também ficasse espelhada no resultado do jogo. 

Defensivamente também foi o menos mau de uma linha que assinou uma exibição terrível.  

A surpresa 

Matteo Kovacic foi, a par de Rúben Dias, uma das figuras da partida. Também bisou e mostrou toda a classe que tem enquanto jogador. No primeiro golo, soube antecipar-se a Rúben Dias e no segundo não teve medo de arriscar o remate fora da grande área e assinar um belo tento para o qual Rui Patrício não teve resposta. 

A desilusão 

Bruno Fernandes assinou uma exibição desapontante em Split. Abusou dos passes longos e a grande maioria deles não encontraram o destino pretendido. Foi um passe errado de Bruno Fernandes que deu origem ao primeiro golo croata. Ao intervalo foi o primeiro sacrificado de Fernando Santos e deu o lugar a Trincão. Talvez esteja a acusar o desgaste físico. 

Fernando Santos 

Portugal voltou a ficar aquém do esperado depois de ter perdido, com justiça, diante de França. Mostrou-se agastado com a equipa depois do jogo, mas assumiu a total responsabilidade. E não é para menos. Esta seleção tem potencial para jogar mais e melhor daquilo que mostrou nos dois últimos jogos. 

Zlatko Dalic

A seleção croata pareceu algo apagada no início do jogo, mas chegou ao golo num lance em que aproveitou a passividade da formação das quinas. Na segunda parte passou a jogar com menos um jogador a partir dos 50 minutos, mas só já perto do apito final deu o jogo como perdido. Não se poderia pedir mais a uma seleção em renovação. 

O árbitro 

A noite de Michael Oliver ficará marcada pelo lance do segundo golo de Portugal. Diogo Jota tocou a bola com a mão antes de assistir João Félix, resultando assim um golo ferido de legalidade. É certo que não há VAR na Liga das Nações, mas o lance deveria ter sido prontamente anulado. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório